Da Série Grandes Artistas Plásticos : Michelângelo

Share on whatsapp
Share on twitter
Share on facebook
Share on google
Share on linkedin
Share on email

Michelangelo di Lodovico Buonarroti Simoni, pintor, escultor, poeta e arquiteto italiano, um dos maiores nomes do Renascimento. Nascido em Caprese, perto de Arezzo, aos 13 anos ingressa como aprendiz na oficina do pintor Ghirlandaio, um dos principais mestres do Quattrocento florentino.

Em 1489, entra para a Escola de Escultura de Florença e lá permanece até a morte de Lorenzo de Medici, seu mecenas e amigo, em 1492. Nesse período converte-se aos ideais de beleza e às concepções filosóficas da Grécia antiga. Estuda as esculturas gregas e romanas da coleção dos Medici e aprende anatomia humana.

Em 1496 vai para Roma. Esculpe a “Pietá” (1498-1499), que se encontra ainda hoje na entrada da Basílica de São Pedro, no Vaticano. De volta a Florença, em 1501, faz a estátua “David” (final desta página).

Em 1505, o Papa Júlio II encomenda-lhe seu túmulo. O artista passa oito meses escolhendo mármores para o mausoléu, mas não termina o projeto. Após a morte do Papa, em 1513, esculpe duas grandes estátuas, “Moisés” e “Os Escravos”.

Conta o biógrafo Vasari, contemporâneo do artista, que Michelângelo, depois de terminar “Moisés” e diante de sua perfeição, teria batido no joelho da escultura e pronunciado a tão difundida expressão: “Parla!”

De 1508 a 1512 pinta o teto da Capela Sistina, no Vaticano, com cenas do Velho Testamento. Nomeado primeiro arquiteto, pintor e escultor do Vaticano pelo papa Paulo III, projeta a enorme cúpula da Basílica de São Pedro. Já no fim da vida se dedica principalmente à arquitetura. Morre em Roma.

Obras destacadas: Teto da Capela Sistina, “A Sibila Cumana”, “A Sibila Pérsica”, a “Sagrada Família” (Galeria Uffizi – Florença), entre outras.

Fonte: Redação

OUTRAS NOTÍCIAS