Itália desvenda segredos dos famosos violinos de Cremona

Seu construtor, o luthier Antonio Stradivari que viveu em Cremona entre 1644 a 1727, produziu vários violinos e violoncelos.

A Universidade de Pavia, na Itália, divulgou nesta segunda-feira (1º) novas descobertas sobre os segredos utilizados pelos mestres violinistas na construção dos famosos violinos da cidade de Cremona.

O instrumento estudado pelos pesquisadores foi o “Piccolo” (“Pequeno” em italiano), criado em 1793 pelo luthier Lorenzo Storioni (1744-1816), considerado um dos últimos fabricantes de violinos clássicos de Cremona do século 18. “Durante o diagnóstico, que durou dois meses, conseguimos identificar materiais orgânicos e inorgânicos presentes na parte externa do instrumento”, revelou Marco Malagodi, um dos líderes do estudo.

O pesquisador acrescentou que o violino é uma “pequena mina” que pode “desvendar” os maiores segredos dos famosos luthiers italianos. Além disso, segundo o especialista, as técnicas de montagem do instrumento eram transmitidas “via oral”, para evitar que suas ideias fossem roubadas.

“No violino ‘Piccolo’, encontramos vestígios de tinta à base de óleo e resinas naturais. Também descobrimos a presença de gipsita, usada para tampar os poros da madeira antes de pintar, assim como fez Stradivari”, relatou Malagodi. O especialista ainda afirmou que foram encontradas três hastes triangulares que ancoravam a alça no corpo do violino.

Os resultados da pesquisa foram divulgados em uma conferência de imprensa na Fundação Bracco, onde foi apresentada uma parceria com a prefeitura de Cremona e o Museu do Violino para uma restauração do local e a organização de uma exposição, prevista para março de 2019.

Agência Brasil

Share on whatsapp
Share on twitter
Share on facebook
Share on google
Share on linkedin
Share on email

OUTRAS NOTÍCIAS