Tempo - Tutiempo.net

Caciques da velha política baiana lutam para se perpetuar no poder/ Por Sérgio Jones

ACM Neto e Zé Ronaldo fazem campanha no interior da Bahia

Mesmo diante da crise moral, econômica e entre tantas outras existentes que atravessa o país, tal qual abutre que pacientemente aguarda os últimos estertores da vítima, para dar início ao banquete macabro. Políticos já deram início à temporada de caça aos votos.

É o vale tudo, onde o que pesa, em todo esse circo de horrores gerados pela chamada democracia burguesa é continuar desfrutando das benesses geradas pelo poder.

Dá início a corrida do ouro em que os beneficiados são os de sempre. Estes, buscam se locupletar sempre com velhos e condenáveis privilégios. Enquanto o povo se mantém na disputa à cata de lixo, em busca de restos de alimentos para sobreviverem.

Na Bahia, velhos e manjados caciques da política do atraso já se encontram em campo na busca de garantir a sua fatia e permanência nas hostes do poder, poder este, que se encontra em pleno estado de putrefação.

Mídias consideradas chapa branca, do município de Feira de Santana abrem graciosamente espaços para anunciar as “Boas Novas”. Fazendo salamaleques para velhos e conhecidos caciques políticos, que muito pouco ou nada têm para apresentar.

São muitos os comentários que circulam na cidade, que dão conta das chamadas investidas feitas pelo ex-prefeito de Feira de Santana, José Ronaldo de Carvalho, ao lado de ACM Neto pelo interior baiano, na busca e na caça aos votos. A situação seria hilária se não fosse patética.

O ex-prefeito é o mesmo que aceitou a condição de posar o boi de piranha, imposta pelo atual prefeito de Salvador ACM Neto. Que na eleição para governador (2018), diante da derrota política que se avizinhava, resolveu jogar a toalha e abandonou o posto.

Colocando em seu lugar para assumir o ônus da disputa o seu “fiel escudeiro político”, José Ronaldo. Que teve de se desincompatibilizou do cargo de prefeito de Feira de Santana, para concorrer ao cargo governador do Estado.

A experiência não foi considerada como uma das melhores. Sofreu a maior derrota já registrada nos anais da história política baiana. Com o transcorrer do tempo, a dupla procura renascer das cinzas se utilizando de velhas e manjadas práticas eleitoreiras.

Tudo indica que dessa vez, o prefeito ACM Neto não pretende repetir o fiasco político e fugir da arraia. Vai partir célere para a disputa em 2022, onde deverá angariar mais uma provável derrota eleitoral.

Sérgio Jones, jornalista (sergiojones@live.com)

Share on whatsapp
Share on twitter
Share on facebook
Share on google
Share on linkedin
Share on email

OUTRAS NOTÍCIAS