Combatentes britânicos do Estado Islâmico foram capturados na Síria, diz imprensa americana

Combatentes conhecidos como "Os Beatles" foram capturados em janeiro pelas Forças Democráticas Sírias, apoiadas pelos EUA.

Dois combatentes britânicos do grupo extremista Estado Islâmico (EI), que faziam parte da célula de sequestradores apelidada de “Os Beatles”, por causa de seu sotaque, foram capturados na Síria, confirmou nesta quinta-feira (8), sob anonimato, um funcionário da Defesa americana à imprensa americana.

Segundo a fonte, os dois membros do grupo ainda ativo, Alexanda Amon Kotey e El Shafee el-Sheikh, da Grã-Bretanha, foram capturados em janeiro no leste da Síria pelas Forças Democráticas Sírias, apoiadas pelos Estados Unidos.

“Acredita-se que os dois tenham agido como guardas e intérpretes envolvidos nos sequestros ilegais do grupo EI de reféns ocidentais e que haja ligações com o terrorista britânico conhecido como ‘Jihadi John'”, declarou a fonte em uma declaração.

O funcionário americano não deu nenhuma informação sobre o estado dos dois ou o que pode acontecer com eles.

Os outros outros dois membros do grupo “Beatles”, Mohammed Emwazi, apelidado de “Jihadi John”, foi morto em 2015 em um ataque com drone realizado pela coalizão liderada pelos Estados Unidos contra o EI.

“Jihadi John” era o líder do grupo, conhecido por usar uma faca para matar os reféns em uma série de decapitações gravadas em vídeo, incluindo a dos jornalistas americanos James Foley e Steven Sotloff.

O quarto membro, Aine Davis, está detido na Turquia.

Por France Presse

Share on whatsapp
Share on twitter
Share on facebook
Share on google
Share on linkedin
Share on email

OUTRAS NOTÍCIAS