Falange do mal se articula contra os interesses do povo feirense/ Por Sérgio Jones

Share on whatsapp
Share on twitter
Share on facebook
Share on google
Share on linkedin
Share on email

Não é de hoje que temos conhecimento de que a política nem sempre é forjada voltada para os nobres interesses do povo. Estes são sempre relegados ou deixado para o segundo plano. A situação ganha maior visibilidade, principalmente, em períodos das eleições, e este ano não difere dos demais.

Diariamente nos deparamos com todo tipo de aberrações que se evidenciam com os conchavos políticos articulados pelas forças conservadoras que tudo fazem para se perpetuar no poder. O objetivo deles são sempre os mesmos, permanecerem incrustados no poder para que possam continuar gozando das odiosas benesses que o mesmo proporciona. O mais crível é que toda essa farra é bancada com os recursos públicos.

Evidência do fato é o comportamento adotado pelo político do baixo clero Carlos Geilson (Podemos). Ele informou que fará uma coletiva no final da tarde de hoje (19), no auditório do Hotel Acalanto, para anunciar seu apoio no 2º turno. A imprensa divulga que a expectativa é que ele anuncie apoio ao candidato à reeleição Colbert Martins Filho (MDB), retornando assim ao grupo político do ex-prefeito José Ronaldo de Carvalho.

Até bem pouco tempo essa caricatura de político, antes das eleições, andou acendendo uma vela para Deus e outra para o diabo.

Foi Ouvidor do Governo do Estado, mas arrumações políticas posteriores e interesses outros, nem sempre confessáveis, poderão leva-lo à Assembleia Legislativa, já que é suplente de deputado, devendo assim a retornar ao ninho das hienas políticas do Zé (Ronaldo).

Outro que pretende engrossar a fila desses aleijões políticos é o dublê de deputado e pastor da Igreja Universal do Reino do Dinheiro (IURD), José de Arimateia (Republicanos).

A esdrúxula aliança foi tentada antes do primeiro turno, mas o que se comenta é que não foi concretizada devida as inaceitáveis exigências feitas pelos Republicanos, durante as negociatas.

Neste segundo turno o prefeito de direito e não de fato, Colbert Martins, ao sentir o aperto da corda em torno do pescoço teve que ceder às exigências, agora mais pesadas, feitas pelo seu novo “aliado”.

Tal aliança política implica que uma eventual vitória do atual prefeito, este dará prosseguimento a sua desastrosa administração. Pois a mesma estará totalmente engessada devido os conchavos realizados. E quem pagará o preço de todos esses atos de irresponsabilidades criminosas, será o povo e por extensão toda a sociedade.

Vamos mudar para não piorar. Este comportamento poderá ser o melhor presente de Natal que o povo poderá e deve conceder a si mesmo. Vamos aproveitar o clima natalino e colocar Colbert e sua corja política no saco de Papai Noel, em seguida enviar para a Casa dele, na Groelândia.

Sérgio Jones, jornalista (sergiojones@live.com

OUTRAS NOTÍCIAS