Tempo - Tutiempo.net

Papa Francisco afirma que Igreja Católica “não é de direita ou de esquerda”

Papa Francisco diz que igreja católica não é de esquerda ou direita

O  papa Francisco se reuniu neste sábado (13) com correspondentes no Vaticano e disse que a Igreja Católica não é de esquerda nem de direita.

Já chamado de “comunista” por extremistas de direita em função do teor social de seus discursos, o pontífice afirmou que a Santa Sé não é uma “organização política” nem uma “grande multinacional com gestores que estudam como vender melhor seu produto”.

“A Igreja não é uma organização política que tem em seu interior direita e esquerda, como acontece nos parlamentos”, afirmou Francisco para os correspondentes no Vaticano.

Segundo o Papa, a Igreja Católica “perde vigor” quando se comporta como um parlamento ou uma multinacional.

“A Igreja, composta por homens e mulheres pecadores como todos, nasceu e existe para refletir a luz de outro, a luz de Jesus, assim como a Lua faz com o Sol”, acrescentou.

Durante o encontro, Jorge Bergoglio também disse que a missão da imprensa é “explicar o mundo e torná-lo menos obscuro”, mas cobrou que os jornalistas não cedam à “tirania de estar sempre online” e saiam às ruas para “gastar as solas dos sapatos”.

“Há três verbos que podem caracterizar o bom jornalismo: escutar, aprofundar, contar. Escutar caminha lado a lado com o enxergar, com estar. Certas nuances, sensações e descrições só podem ser transmitidas se o jornalista as escutou e viu pessoalmente.

Eu sei o quanto é difícil, no seu trabalho, subtrair-se à tirania do estar sempre online, nas redes sociais, na web. O bom jornalismo do escutar e do ver precisa de tempo, nem tudo pode ser contado por e-mails, pelo telefone ou em uma tela”, disse.

O Papa também agradeceu aos jornalistas por “darem voz às vítimas de abusos”, uma das maiores chagas da Igreja Católica, e pediu que a imprensa “se deixe atingir e ferir pelas histórias, para poder narrá-las com humildade aos leitores”.

“Precisamos muito hoje de jornalistas e comunicadores apaixonados pela realidade, capazes de encontrar os tesouros frequentemente escondidos nas dobras de nossa sociedade e de contá-los, permitindo a nós aprender, ampliar nossa mente, ver aspectos que antes não conhecíamos”, salientou.

Vaticano

Share on whatsapp
Share on twitter
Share on facebook
Share on google
Share on linkedin
Share on email

OUTRAS NOTÍCIAS