Tiroteio evangélico: Malafaia diz que Universal faz “jogo estratégico nojento” ao apoiar Kassio Nunes no STF

Share on whatsapp
Share on twitter
Share on facebook
Share on google
Share on linkedin
Share on email
O quarteto infernal

Malafaia abre fogo contra seu concorrente evangélico Edir Macedo e acusa a Igreja Universal de “um jogo estratégico nojento”.

Para ele, trata-se de uma troca, pelo apoio de Bolsonaro aos dois candidatos do Republicanos, partido da Universal, às prefeituras do Rio (Crivella) e São Paulo (Russomano).

Os pastores-empresários estão em pé de guerra. Entre eles.

O barulhento Silas Malafaia acusa a Igreja Universal de fazer “um jogo estratégico nojento” ao apoiar a indicação de Kassio Nunes Marques para o STF (Supremo Tribunal Federal), feita por Jair Bolsonaro. 

Ele é mais um dos “bolsonaristas raiz” em choque com o governo que ajudou a eleger.

Malafia acusa Nunes que “tem amizade com a turma do PT” e “posição muito dúbia” sobre aborto. “Precisa de mais alguma coisa?”, complementa.

Para ele, o juiz é de esquerda.

Em entrevista à jornalista Anna Virginia Balloussier, da Folha de S.Paulo. Malafaia acusa a Universal, de seu ex-aliado Edir Macedo de, com o apoio a Nunes, retribuir a Bolsonaro pelo suporte a dois candidatos a prefeito da igreja concorrente: no Rio de Janeiro, Marcelo Crivella, sobrinho de Edir, e em São Paulo, o deputado federal Celso Russomanno. Ambos são do Republicanos, partido ligado à igreja.

Na bancada evangélica, segundo a jornalista Balloussier, circula a versão de que Malafaia já esteve mais em alta com Bolsonaro.

Ele associa a ideia a uma “dor de cotovelo” e diz que o presidente, que lhe dá acesso liberado, costuma brincar: “Quando Malafaia bota dois áudios seguidos no meu zap, eu nem escuto, sei que é bronca”.

Brasil

OUTRAS NOTÍCIAS