Tempo - Tutiempo.net

Vídeo vazado mostra como atuava o ‘gabinete paralelo’ da Saúde

O gabinete das sombras

Vídeo mostra reunião de ‘Ministério da Saúde paralelo’ no Planalto. Participam do encontro os principais negacionistas do Brasil, que parecem orientar Bolsonaro sobre os rumos que o governo deve tomar em relação à pandemia. Demonizar vacinas é uma das sugestões

O vídeo de uma reunião no Palácio do Planalto ocorrida em setembro de 2020 reforça a suspeita da CPI da Covid sobre a existência de um “gabinete paralelo” de aconselhamento ao presidente Jair Bolsonaro durante a pandemia.

A CPI investiga a existência do “gabinete paralelo” e se os conselhos dados a Bolsonaro contrariaram a ciência e prejudicaram o combate à pandemia no país.

Na prática, o Ministério da Saúde estaria servindo apenas de fachada, pois o presidente estaria seguindo as orientações do ‘gabinete paralelo’ para agir diante da pandemia.

Aparecem nas imagens o negacionista Osmar Terra, defensor da cloroquina e entusiasta da ‘imunidade de rebanho’. Nise Yamaguchi também está presente, além de outros nomes anti-vacina e favoráveis ao ‘tratamento precoce’.

Os profissionais apresentam a Bolsonaro opiniões contrárias às vacinas e favoráveis à hidroxicloroquina, remédio que comprovadamente não tem eficácia contra a Covid.

Em determinado momento, Zanoto propõe a criação de um “shadow cabinet” (gabinete das sombras em tradução literal) para aconselhar o governo sobre a pandemia.

“Eu gostaria de ajudar o Executivo a montar um ‘shadow board’, como se fosse um ‘shadow cabinet’, esses indivíduos não precisam [ser] expostos, digamos assim”, afirmou Zanoto para Bolsonaro na reunião.

Um pouco antes, o virologista apresentou ao presidente opiniões duvidando das vacinas contra a Covid. Ele diz que é preciso tomar “extremo cuidado” e que o Brasil “talvez não” deva ter vacinas contra a doença:

“Com todo respeito, eu acho que a gente tem que ter vacina, ou talvez não, porque o grande problema do coronavírus é que eles têm, intrinsicamente, problemas no desenvolvimento vacinal”, afirmou o médico.

O conselho do médico é criminoso, tendo em vista que já ficou comprovado que a vacina é a única forma de salvar vidas humanas e acabar com a pandemia.

Zanoto também revelou na reunião que Arthur Weintraub, irmão do ex-ministro da Educação Abraham Weintraub, fazia a interlocução entre os profissionais do aconselhamento paralelo e o presidente Jair Bolsonaro. A participação de Arthur no aconselhamento ao presidente é tema da CPI.

RPP

Share on whatsapp
Share on twitter
Share on facebook
Share on google
Share on linkedin
Share on email

OUTRAS NOTÍCIAS