Tempo - Tutiempo.net

Internacionalizar a Amazônia é crime de traição nacional

INTERNACIONALIZAÇÃO DA AMAZÔNIA

O ex-ministro Aldo Rebelo, que é pré-candidato ao Senado Federal por São Paulo, afirmou, em entrevista ao jornalista Leonardo Attuch, editor da TV 247, que cogitar a possibilidade de internacionalização da Amazônia é praticamente um crime de lesa-pátria.

“Quem abandona a centralidade da questão nacional se aproxima da traição nacional”, diz ele.

Aldo também falou sobre os trágicos assassinatos do indigenista Bruno Pereira e do jornalista Dom Phillips.

“O que aconteceu no Vale do Javari foi a crônica de uma tragédia anunciada. Nós não conhecemos a Amazônia e muitas vezes recebemos a informação que vem de ONGs com sede em Nova York e escritório na Faria Lima.

O Vale do Javari é a região mais remota da Amazônia, com problemas de fronteira entre Brasil e Peru. Lá, a ausência do estado foi preenchida por duas presenças: a das ONGs e do crime organizado”, afirma.

Na entrevista, Aldo lamentou as mortes, mas disse que o caso não pode servir de pretexto para ataques à soberania nacional. “Internacionalizar a Amazônia é crime de traição nacional. Sempre foi o sonho das potências imperiais.

Quem se afasta da questão nacional se aproxima da traição nacional”, diz ele. Aldo lembrou ainda que o Reino Unido cometeu o maior crime de biopirataria da história, que foi o roubo das seringueiras, no século passado, e disse que 30% da biodiversidade do mundo está na Amazônia.

“Usar causas nobres para defender biopirataria é a corrupção da virtude. Em nome da democracia, quantos crimes foram cometidos? Por trás da questão indígena, se escondem interesses que não são nem dos índios nem do Brasil”, afirmou.

O ex-ministro também disse que o Brasil precisa reafirmar sua soberania sobre a Amazônia, e não relativizá-la.

“Também é necessário garantir aos amazônidas o direito ao desenvolvimento. As potências ocidentais não querem nosso bem, querem nossos bens”, afirmou.

Brasil

Share on whatsapp
Share on twitter
Share on facebook
Share on google
Share on linkedin
Share on email

OUTRAS NOTÍCIAS