Tempo - Tutiempo.net

O AUMENTO DOS COMBUSTÍVEIS NOS POSTOS

Paga ou não paga

A Federação Nacional do Comércio de Combustíveis e de Lubrificantes informa que pesquisas de mercado indicam que postos de todo o país estão comprando gasolina e diesel mais caro de suas distribuidoras desde o final do mês de novembro, em decorrência do aumento dos custos impactados em toda cadeia.

Conforme é do conhecimento do mercado, o preço da gasolina na bomba é formado a partir do preço de custo da distribuidora, que é composto pelo preço da gasolina, do etanol anidro, dos impostos (Pis/Cofins e ICMS), das margens e fretes.

Além do aumento da Petrobras, ocorrido em 30/11, as distribuidoras estão repassando aos postos, aumentos relativos ao custo do etanol anidro (mistura de 25% à gasolina), que somente no mês de novembro teve alta superior a 7%, segundo cotação da USP/Esalq. A elevação de custo do frete, tendo em vista a alta do óleo diesel também vai impactar no preço dos combustíveis ao consumidor.

É importante esclarecer que o valor do reajuste da Petrobras, em média, de  4% para gasolina e 8% para o diesel, sofre variações de estado para estado. Por exemplo, em Alagoas e Maranhão, a alta da gasolina nas refinarias foi de 4,8%, percentual mais alto entre os estados brasileiros, o maior aumento do diesel foi no estado do Rio Grande do Norte, com 8,9%; seguido pelo Paraná, com 8,8%, segundo levantamento realizado pela Federação.

A Fecombustíveis ressalta que o mercado é livre e competitivo em todos os segmentos, cabendo a cada distribuidora e posto revendedor decidir se irá repassar ou não ao consumidor maiores preços, bem como em qual percentual, de acordo com suas estruturas de custo e de forma a remunerar adequadamente seus investimentos.

Esta Federação, entretanto, entende ser imprescindível manter a sociedade informada sobre as expressivas variações de preço nas etapas anteriores da cadeia de abastecimento, para que a revenda varejista, face mais visível do mercado e quem lida diretamente com o consumidor, não seja injustamente responsabilizada por alterações no preço ocorridas em outras etapas de comercialização.

A Fecombustíveis representa os interesses de aproximadamente 40 mil postos de serviços, 370 TRRs cerca de 55 mil revendedores de GLP, além da revenda de lubrificantes.

Revenda

Share on whatsapp
Share on twitter
Share on facebook
Share on google
Share on linkedin
Share on email

OUTRAS NOTÍCIAS