Tempo - Tutiempo.net

PEDIDO DE IMPEACHMENT DE BOLSONARO CIRCULA NO CONGRESSO NACIONAL

Bolsonaro X Álvaro Dias

O senador Álvaro Dias (Podemos-SP) já não esconde o incômodo com o governo Jair Bolsoanor e já fala abertamente na possibilidade do presidente ser alvo de um processo de impeachment por não conseguir equilibrar as contas públicas e tentar burlar a chamada regra de ouro, que impede que o governo faça dívidas para cobrir despesas correntes como salários.

O governo inclusive corre o risco de sequer cumprir a lei da regra de ouro, dispositivo legal que impõe o impeachment do presidente. Provavelmente não vai cumprir a regra e buscará driblá-la para evitar o impeachment.

“Da forma como está se conduzindo na área econômica não vejo como superar essa dificuldade a médio prazo. [Já] em 2019 e 2020, o governo certamente enfrentará dificuldades”, disse o parlamentar em entrevista ao UOL.

Segundo ele, o país caminha para o “aprofundamento da crise pela ausência de medidas mais efetivas no campo do ajuste fiscal. Em relação à dívida pública, não há a transparência necessária”.

“O governo também deveria estabelecer um limitador do endividamento. Até hoje não se cumpriu a Constituição no que diz respeito ao limite do endividamento”, completou.

Álvaro Dias também defendeu a realização de uma auditoria da dívida pública do país, por entender “ser este um direito do cidadão brasileiro”.

O senador disse, ainda, desconhecer alguma articulação política do governo no Congresso Nacional.

“Desconheço quem articula em nome do governo. O que é visível é a ocupação de espaço de lideranças no Congresso. O que se pode discutir é se a escolha de líderes foi boa ou não. Há lideranças que deveriam estar exercendo essa tarefa da articulação política”, afirmou.

Embora seja favorável à reforma da Previdência, Dias avalia que somente ela não será suficiente para retomar o crescimento econômico, como alardeado pelo governo.

“A reforma da Previdência é insuficiente. Fala-se em uma economia de R$ 1 trilhão em dez anos caso a proposta do governo seja aprovada no Congresso. Esse R$ 1 trilhão desaparece em dois anos do déficit nominal. O déficit nominal neste ano deve ser de R$ 517 bilhões. Então, em dois anos, nós liquidaríamos com a suposta economia de R$ 1 trilhão”, ressaltou.

“A reforma da Previdência é necessária do ponto de vista do trabalhador e do aposentado brasileiro. Muito mais importante para a sociedade do que para o governo. O governo pode comemorar uma tímida economia com esta reforma, mas o que deve nos orientar é a necessidade de um sistema previdenciário que garanta a aposentadoria no futuro”, completou em seguida.

O senador também defendeu que a influência do astrólogo Olavo de Carvalho, guru do presidente, seja reduzida drasticamente.

“Acho que ele deveria influir mais nos Estados Unidos e deixar o Brasil de lado. Essa influência é negativa, uma influência que puxa para baixo, não acrescenta absolutamente nada e tumultua muito. Se ele se ausentasse, a ausência dele preencheria uma grande lacuna no governo”, sentenciou Álvaro Dias.

Share on whatsapp
Share on twitter
Share on facebook
Share on google
Share on linkedin
Share on email

OUTRAS NOTÍCIAS