Copa 2014: Natal entrega estádio, e Curitiba, atrasada, fica ameaçada

O primeiro mês do ano da Copa do Mundo ficou marcado pela preocupação com o andamento das obras de reforma de alguns estádios, principalmente da Arena da Baixada, em Curitiba, que corre risco de ficar fora se não mostrar avanços consideráveis até o dia 18 de fevereiro. Na semana retrasada, o secretário-geral da Fifa, Jérôme Valcke, esteve no Brasil para mais uma série de visitas e mostrou sentimentos distintos quando falou de sua visão atual da preparação.

Nessa data (18 de fevereiro) será possível dizer exatamente em que ponto o estádio (Arena da Baixada) está, e a velocidade das decisões que foram feitas nos últimos dias, o impacto na obra. Está bastante atrasado, mas nós da Fifa, o COL, e as autoridades estamos colocando todos os recursos que temos para monitorar a obra. Estamos olhando cada minuto do dia… Depois da reunião e do conjunto de compromissos que assumimos, estamos otimistas com a possibilidade de usar a Arena da Baixada. No dia 18 vamos avaliar, mas esperamos que esteja pronta no fim de abril – disse Valcke, em entrevista coletiva no Maracanã, no Rio de Janeiro.

No embrião do projeto Copa do Mundo, a Arena da Baixada tinha data prevista de entrega para 31 de dezembro, assim como todos os outros seis estádios que não participaram da Copa das Confederações. Mas houve uma sequência de problemas e a última data prevista era 29 de março. Prazo que não deve ser cumprido.

Sabendo do risco, o governo federal entrou na jogada e promoveu novas medidas para acelerar o passo dos trabalhos em Curitiba, com liberação de R$ 39 milhões.
– A situação que se apresentou em Curitiba já tínhamos apontado alguma preocupação em dezembro, após o sorteio das chaves da Copa do Mundo.

 

Em função disso, medidas adicionais tiveram de ser adotadas e tomadas e foi isso que tratamos na visita a Curitiba. Acertamos uma agenda de temas e encaminhamentos para reverter a situação e garantir a cidade como sede. Essas medidas envolveram três pilares, uma recomposição da gestão da obra com inclusão de pessoas da Prefeitura e do Governo do Estado com experiência em obras complexas, a aprovação dos dois turnos para intensificar o trabalho, e a liberação de recurso financeiro de R$ 39 milhões para tocar a obra nesse novo ritmo. Implementadas essas medidas acreditamos que podemos entregar o estádio em tempo – comentou Luiz Fernandes, do Ministério dos Esportes.

 

 

Fonte: Redação com informações do Globo Esporte/ Foto: EFE

Share on whatsapp
Share on twitter
Share on facebook
Share on google
Share on linkedin
Share on email

OUTRAS NOTÍCIAS