Sauber contrata ex-Renault para substituir Monisha e comandar equipe

Share on whatsapp
Share on twitter
Share on facebook
Share on google
Share on linkedin
Share on email
Escuderia suíça solta comunicado, nesta quarta-feira, para anunciar contratação de Frederic Vasseur como chefe de equipe e CEO da empresa de Hinwil

Sauber demitiu Monisha Kaltenborn após 17 anos de serviços prestados ao time suíço. Agora, quase um mês depois, a equipe anuncia quem será o substituto da indiana.

O escolhido é Frederic Vasseur, que há pouco tempo comandava a Renault, mas que foi dispensado após não chegar a um acordo sobre o rumo que a escuderia francesa deveria seguir, situação parecida com a qual decretou a demissão de Kaltenborn na Sauber.

De acordo com comunicado da escuderia de Hinwil, Vasseur não apenas será chefe de equipe, mas também CEO da empresa. O francês assume o cargo a partir do dia 17 de julho.

– Estou muito orgulhoso de me juntar à Sauber. Gostaria de agradecer aos acionistas da empresa por confiar em mim. Estou impressionado com a estrutura em Hinwil, além da ambição e talento da força de trabalho. Estou ansioso para fazer parte do time, usando minha experiência e determinação para guiar todos na direção correta.

Estou convencido de que juntos nós conquistaremos nossos objetivos ambiciosos. Mal posso esperar para trabalhar com nossos pilotos, engenheiros e todos os funcionários, além de contribuir para a próxima fase, importante para o desenvolvimento do time – afirmou Vasseur.

Saída de Vasseur da Renault

Vasseur, muito bem-sucedido com a equipe ART nas categorias de base, assumiu o comando da Renault em 2016, na sua volta à F1, em parceria com Cyril Abiteboul. Apesar de o time afirmar que a saída do dirigente foi tomada “em comum acordo”, Vasseur revelou que não foi bem assim, e que seu desligamento se deu por opiniões “muito divergentes” na gestão do time.

– O que aconteceu é que na Renault se tem muitas opiniões divergentes no comando do time. Então, neste momento, faz sentido que eu saia. Se você quer ir bem na F1, você precisa ter um líder e apenas uma forma de trabalho. Se você tem dois pontos de vista diferentes, o trabalho dentro do time não funciona – revela.

Saída de Monisha da Sauber

Além dos fracos resultados nas últimas temporadas, o motivo da saída de Monisha da Sauber teria a ver com o fato de o atual dono do time, um fundo de investimento suíço, querer dar um tratamento especial a Marcus Ericsson, em detrimento de Pascal Wehrlein. Porém, Kaltenborn teria sido contra tal política, fazendo ambas as partes chegar a conclusão que não conseguiriam trabalhar juntas.

Globo esportes

OUTRAS NOTÍCIAS