Anúncio de investimento em comunidade quilombola de Cachoeira celebra mês da Consciência Negra

Share on whatsapp
Share on twitter
Share on facebook
Share on google
Share on linkedin
Share on email
Q

Para celebrar o Dia da Consciência Negra, data que faz referência à morte do líder Zumbi dos Palmares, último líder do quilombo dos Palmares, o Governo do Estado, por meio do projeto Bahia Produtiva, assinou, no sábado (21), um convênio com a Associação Comunitária de Olaria, Pedra Branca e Adjacência, da comunidade quilombola Engenho Novo, do município de Cachoeira, Recôncavo Baiano.

Na localidade, serão destinados R$ 550,4 mil para a criação de galinhas caipiras, com a construção de abrigos e aquisição de equipamentos como chocadeiras, e outros insumos.

Também serão implantados quintais agroflorestais, compostos por plantas alimentares, condimentares e medicinais, além de assistência técnica e extensão rural (Ater).

O projeto Bahia Produtiva é executado pela Companhia de Desenvolvimento e Ação Regional (CAR), empresa pública vinculada à Secretaria de Desenvolvimento Rural (SDR), com cofinanciamento do Banco Mundial.

Segundo o titular da SDR, Josias Gomes, os últimos governos foram fundamentais para que o segmento da população negra, quilombola e indígena tivesse vez e voz: “São segmentos sociais importantes, que formaram a economia, a cultura e história do nosso país.

É preciso que as gerações futuras tenham clareza do que esse segmento significa para a gente. Neste sábado, mostramos mais uma ação do Bahia Produtiva, um projeto inovador e capaz de inserir no processo econômico do estado milhares de agricultores familiares. Esse investimento na comunidade quilombola de Cachoeira será de fundamental importância para o aumento da renda, mas também para a produção de alimentos na Bahia”.

O presidente da CAR, Wilson Dias, destacou que o Estado avança no processo de inclusão produtiva de comunidades que têm maior nível de vulnerabilidade, onde as condições de produção estão mais restritas: “Estamos aportando recursos para prover a produção, melhorar a renda, a alimentação e a qualidade de vida das comunidades quilombolas de Engenho Novo e de toda a Bahia”.

Para o presidente da associação, Elenilton da Silva Farias, essa é a realização de um sonho para a comunidade: “É a realização de um povo que luta muito. E esse ato, nesse mês da Consciência Negra, vem como uma vitória para a nossa comunidade, pois vamos começar a andar com esse projeto. Ele representa muito.

Vai ajudar a criar esses animais e preservar nossas nascentes e incentivar nossa agricultura, para a gente plantar e vender melhor. A gente tá vendo muito jovem sair da comunidade para trabalhar fora e, assim, a comunidade vai esvaziando. Chegou um incentivo para o nosso povo cuidar da nossa terra”.

A ação se soma aos 178 convênios do projeto Bahia Produtiva, firmados com comunidades quilombolas de 32 municípios, de todas as regiões da Bahia, totalizando um investimento de R$34 milhões.

São ações que estão beneficiando 4.617 famílias de agricultores familiares quilombolas, com o desenvolvimento da Bovinocultura de Leite, Apicultura e Meliponicultura, Ovinocaprinocultura, Mandiocultura, Fruticultura, Oleaginosas e para a produção de alimentos.

Os investimentos são voltados à implantação e gestão de ações de caráter socioprodutivo, com ênfase na sustentabilidade ambiental, segurança hídrica, alimentar e nutricional das famílias beneficiadas.

INVO acompanhamento e desenvolvimento dos projetos apoiados, contam com a participação e colaboração da Secretaria Estadual de Promoção da Igualdade Racial (Sepromi), por meio da Coordenação de Políticas para Povos e Comunidades Tradicionais (CPCT).

Secretaria de Desenvolvimento Rural (SDR)

OUTRAS NOTÍCIAS