Rui participa da saída do Olodum e abre o Carnaval do Pelô nesta sexta

Rui Costa no Pelourinho

Olodum alegria cidade a cantar Salvador’. Quem foi ao Pelourinho na tarde desta sexta-feira (1º) e participou da saída de um dos blocos afro mais tradicionais da capital conferiu de perto a verdade desse verso.

O governador Rui Costa prestigiou o evento, que também marcou a abertura oficial da folia no Circuito Batatinha (Pelourinho). O bloco é apoiado pelo Governo do Estado, por meio do Carnaval Ouro Negro.

“O Ouro Negro é um projeto belíssimo, que visa manter viva a história, a cultura, a arte e a estética do povo negro e do povo da Bahia. O Olodum é a expressão dessa negritude, trazendo uma sonoridade especial que encanta o mundo inteiro. É uma das paixões do povo baiano. Por isso, temos que apoiar e manter viva essa tradição que já atravessa 40 anos”, destacou o governador Rui Costa.

Em 2019, o Olodum completa quatro décadas, trazendo o tema ‘As Duas Histórias: O Perfume das Rosas – Olodum 40 Anos’, e o compromisso de passar mensagens de paz aos foliões que forem atrás do grupo percussivo, durante o Carnaval.

“Através do Olodum, a cultura afro e nossa luta por igualdade chegaram a 89 países do mundo. O apoio do Governo é fundamental para o Carnaval, e também para a Femadum, para a escola, o ano inteiro”, ressaltou o presidente do Olodum, João Jorge Rodrigues.

O baiano Edilson Ferreira vai atrás do Olodum há muito tempo e trouxe a esposa, a paraense Alda Figueiredo, para curtir o bloco afro pela primeira vez.

“Eu estou morando em Belém, mas precisava trazer Alda para sentir essa energia. Quando os tambores do Olodum tocam, a gente sente no coração”, revelou.

Nascida em Paulo Afonso, a funcionária Erika Caçula atualmente mora em Rondônia e trouxe toda a família para ver o Olodum passar. “É mágico. Basta a música começar que um arrepio toma todo o corpo. O Olodum é bom demais”.

Este ano, o Bloco Olodum desfila nos três circuitos oficiais da folia. Após a saída no Pelourinho, ainda nesta sexta (1º), às 20h, o manto amarelo, verde, vermelho e preto desfilará pelo Circuito Osmar, no Campo Grande.

No domingo (3), será a vez dos foliões que estarão na Barra, no Circuito Dodô, curtirem os grandes sucessos da banda.

Carnaval no Pelô

Com 100% da programação cultural promovida pelo Governo do Estado, através da Secretaria de Cultura (Secult), o Pelourinho reúne, neste Carnaval, mais de 100 artistas que subirão aos palcos do Largo do Pelourinho e das praças Pedro Archanjo, Tereza Batista e Quincas Berro D’Água.

Ao todo, são 66 shows individuais e coletivos, desta sexta a terça-feira (5), último dia oficial da festa. Entre as atrações, nomes como Gerônimo (domingo); Manno Góes, Jorge Zarath e Tenison Del Rey (juntos, no sábado); e Ellen Oléria, Paula Lima e Nara Couto (juntas, na terça).

Também no Pelourinho, acontecem quatro bailes infantis, entre sábado e terça, das 15h30 às 17h30, sempre no Largo Pedro Archanjo.

Além dos palcos, a folia vai se espalhar pelas ruas do Centro Histórico, com 76 desfiles de bandas de percussão e cordas, bandões e performances que se iniciam na sexta a partir das 18h, no projeto Cortejão Cultural.

Os bandões continuam os desfiles pelas Ruas do Pelô, de sábado a terça de Carnaval, entre 10h e 22h. Sete microtrios e três nano trios também estão na programação do Carnaval do Pelô e desfilam no Terreiro de Jesus, entre sexta e segunda-feira.

Mais folia

Além do Carnaval Ouro Negro, o Governo do Estado promove o Carnaval Pipoca, garantindo mais de 50 trios sem cordas para baianos e turistas.

Vale lembrar que cidades do interior, na Chapada, Extremo Sul e Região Metropolitana, também contam com atrações garantidas pela gestão estadual, que nesse ano trouxe o tema ‘Carnaval da Bahia. O mundo se une aqui’.

A programação completa com as atrações promovidas pelo Governo do Estado, no Pelourinho e nos outros circuitos, pode ser conferida no site do Carnaval da Bahia.

Renata Preza

Share on whatsapp
Share on twitter
Share on facebook
Share on google
Share on linkedin
Share on email

OUTRAS NOTÍCIAS