Modelo político de Ronaldo e grupo, atenta contra a dignidade do feirense/por Carlos Lima

Share on whatsapp
Share on twitter
Share on facebook
Share on google
Share on linkedin
Share on email
Modelo político. José Ronaldo e grupo

A população feirense não pode se resignar com a iniquidade e a individualidade social de um grupo político que se caracteriza como algumas das antigas sociedades secretas do passado e explora vergonhosamente o erário.

Esse domínio vem provocando uma asquerosa cegueira dos considerados homens de bem do município, onde as corruptas benesses distribuídas, os emudecem, e são aboiados como gado pelo canto monótono e triste, em direção ao abate.

Depois da explosão corrupta da “Operação Pityocampa”,     além de outras denúncias e suspeitas, que sofreram tentativa de desconstrução, a desconfiança se avolumou e gerou o descontentamento que a muito estava entorpecido no ceio do povo.

O governo de Colbert Filho, impopular e inexpressivo, trouxe a baila um sistema político feudal colocado em prática pelo líder e ex-prefeito, José Ronaldo que sub existe há mais de 20 anos.

Considerando os mesmos beneficiários durante esse período, pode-se afirmar que suas esquinas são perigosas e tirânicas.

A sociedade feirense se submeteu a esse domínio, aceitaram. Com maior ou menor resignação curvaram-se diante do abuso de poder  por duas décadas, sem fraturar, em determinado momento, essa subserviência. A hora do rompimento chegou.

Não há sismógrafos que possa fazer a previsão da intensidade dos abalos provocados por essa fenda de insatisfação, cada vez mais profunda, que se abre.

O grupo está disposto a sacrificar tudo, têm medo de perder a “galinha dos ovos de ouro”. Estão sacrificando até a própria conceituação moral e ética.

Eles fazem questão de desconhecer, ou encobrir, o laboratório da história, onde todo poder e regime de exploração, opressão e dominação, ou seja, tem começo, meio e fim.

Com o impacto provocado pela pandemia e as ações do governo municipal, pudemos conhecer e avaliar os descasos praticados nesses vinte anos do domínio desse grupo comandado pelo ex-prefeito José Ronaldo, responsável direto e coparticipante da gestão de Colbert Filho, como de alguns outros

A sociedade feirense não pode se deixar dominar. O relaxamento de postura política estará comprometendo o futuro do município e o desenvolvimento a que todos têm direito.

Já conseguimos identificar que não são poucos aqueles que acreditam na chegada do momento de erradicar definitivamente esse grupo político.

Na verdade eles , o povo, descortinaram suas consciências e passaram a enxergar quanto é danoso a continuação desse modelo político.

Carlos Lima

OUTRAS NOTÍCIAS