Secretaria de Meio Ambiente comemora resultados da Unamacs e já projeta novos cursos para 2018

Share on whatsapp
Share on twitter
Share on facebook
Share on google
Share on linkedin
Share on email
Unamacs projeta novos cursos para 2018

Os bons resultados atingidos pela Unamacs (Universidade Aberta de Meio Ambiente e Cidadania Sustentável) no seu primeiro semestre de atividades, tanto em qualidade como em quantidade, estão sendo comemorados na Secretaria de Meio Ambiente. Do final de agosto até o final de novembro a instituição realizou oito cursos e duas oficinas, que somados, tiveram as participações de mais de 250 pessoas – média de 25 por turma.

A Semmam já organiza a grade para o próximo semestre. Algumas sugestões foram apresentadas e estão sendo avaliadas, conforme explica o secretário de Meio Ambiente, Sérgio Carneiro. “Precisamos estudar as viabilidades das propostas para que atenda o maior número de interessados em participar dos cursos e oficinas”.

O sucesso da Unamacs, conforme o secretário, se deve muito ao empenho das professoras Elizângela Lucena e Érica Teles, intituladas por ele como “reitoras da Unamacs”. “O empenho delas e a dedicação foram fundamentais para que os objetivos fossem atingidos”.

A UNAMACS é aberta a pessoas de todas as idades, independente do nível de escolaridade. Para a professora Érica Teles (foto), o interesse e compromisso dos alunos superou todas as expectativas. “A transformação e mudança de atitudes foram evidentes”, salientou.

Os cursos e oficinas são totalmente gratuitos para os alunos. O professores, por sua vez, nada cobram para ministrar as aulas. Mas para os mestres, a maior recompensa é proporcionar a reflexão ambiental. “É uma oportunidade ímpar na vida dessas pessoas. E poder fazer parte disso é muito gratificante”, ressalta Elizângela Lucena.

Os cursos foram realizados no Parque da Cidade Frei José Monteiro Sobrinho, com cargas horárias variadas. O maior deles foi o de “Capacitação em Resíduos Sólidos: Destino e Reuso”, que teve 80 horas.

A UNAMACS é a primeira Universidade Aberta do Meio Ambiente da Bahia e do Norte e Nordeste neste formato, para capacitação de cursos e de educação informal, a terceira do Brasil, acompanhada da UMAPAZ (em São Paulo) e a Unilivre (em Curitiba) e a sétima no mundo.

A educação informal surge na Inglaterra em 1969 e chega no Brasil com a concepção da Universidade Aberta à Terceira Idade, onde os mais velhos vão a um local em que desenvolvem atividades mentais de jogos, cursos de corte e costura, dança e salão com mentores que, não necessariamente, tenham cursos superiores. O Meio Ambiente se apropria dessa ideia e oferece cursos como o de compostagem, jardinagem, minhocário e capacitações acerca do tema “meio ambiente” e que, diferentemente das Universidades tradicionais, não exigem anos de graduação.

Secom

OUTRAS NOTÍCIAS