Tempo - Tutiempo.net

Bolsonaro critica indicações políticas na Caixa: ‘Não tinha como dar certo’

Bolsonaro critica indicações políticas na Caixa: 'Não tinha como dar certo'

O presidente Jair Bolsonaro afirmou nesta sexta-feira (10) que a “imagem distorcida” da Caixa Econômica Federal se deu em razão de indicações políticas feitas por governos anteriores para cargos no banco. De acordo com Bolsonaro, a prática “não tinha como dar certo”.

Nos últimos anos, irregularidades na Caixa ganharam destaque no noticiário com as operações Lava Jato e Greenfield, que apuraram suspeitas de corrupção no banco.

Em janeiro de 2018, o então presidente Michel Temer, afastou quatro vice-presidentes do banco. Ele tomou a decisão após recomendações do Ministério Público Federal do Distrito Federal e do Banco Central. As recomendações tiveram como base suspeitas de corrupção investigadas pelo MPF e pela Polícia Federal.

Bolsonaro falou sobre as indicações técnicas para o banco em um evento com funcionários da Caixa, realizado em um hotel em Brasília, próximo ao Palácio da Alvorada, residência oficial da Presidência.

Ele ressaltou que tomou a decisão em seu governo de não ter indicações políticas.

“Me elegi e a decisão foi a seguinte, como havia falando durante anos: não teremos indicações políticas. A imagem distorcida da Caixa era em função disso”, disse o presidente.

Segundo Bolsonaro, partidos políticos dividiam espaços em diretorias e vice-presidências da Caixa.

“Cada partido tinha uma diretoria, tinha uma vice-presidência, e, com todo o respeito, o presidente, para ser educado, não falava muito. Não tinha como dar certo”, declarou.

G1

Share on whatsapp
Share on twitter
Share on facebook
Share on google
Share on linkedin
Share on email

OUTRAS NOTÍCIAS