PÁTRIA EDUCADORA,PÁTRIA TRANSGRESSORA

Creio que para ser uma Pátria Educadora, condição para a qual sempre torci, o Brasil precisa ter a visão exata de que Educação é uma necessidade social e que ela é útil à construção de um país cuja sociedade seja mais reflexiva e crítica, e que não pode ser projeto de um partido político e, sim, de toda a Nação.

Para que a Pátria seja efetivamente Educadora precisamos aprender a não suprimir verbas para o desenvolvimento do processo educativo, porque em todos os seus níveis(estão interligados), ela precisará sempre de uma Economia especificamente voltada para os interesses do processo para que tenha assegurado que todas as práticas de Ensino-Aprendizagem, Pesquisa e Extensão receberão as verbas necessárias para que toda a dinâmica educativa funcione bem em todo o país.

Acredito, que na realidade de uma Pátria Educadora, precisamos de ter professores de qualidade indiscutível nas salas de aulas, como Especialistas, Mestres, Doutores, todos com objetivos definidos, claros, de que a Educação tem sentido para eles e para a sociedade brasileira, execrando aquilo que pode ser chamado de “baixo clero” e que não deseja ver o País em uma condição de qualidade na Educação.

Apoio à Educação,à Missão dela, ao livre direito de todos à ela como exercício de Cidadania, assim como lutar por transformar, orientando alunos que pouco aprendem ou não aprendem por um motivo ou outro, em indivíduos que interajam dentro e fora das paredes das escolas e das universidades, é o que deve ser tomado como mote.

Na Pátria Educadora, o desempenho de professores e alunos deve ser sempre de qualidade superior, e os órgãos que gerenciam o processo devem ser apenas observadores do desenvolvimento e qualificação deles, sem ingerência político-partidária, portanto, sem a presença de incompetentes no desenvolvimento de todo o processo educativo.

Para uma Pátria Educadora há que existir uma Educação inteligente aplicada à sociedade, sem excessos, sem modismos, sem ufanismos, sem imediatismos.

Para uma Pátria Educadora-e torço para que ela seja construída-, é mister que façamos a discussão constante sobre os problemas antigos e atuais, que encontremos soluções racionais para que tais questões se transformem em princípios motivadores para uma Pátria, assim: Educadora e fruidora do que há de revolucionário na própria Educação: a transgressão. A não ser assim, a Educação será sempre um oceano de “nada” nas terras do Brasil.

Cezar Ubaldo.

Share on whatsapp
Share on twitter
Share on facebook
Share on google
Share on linkedin
Share on email

OUTRAS NOTÍCIAS