Progressos nucleares da China criam receios do Pentágono de nova ameaça

Share on whatsapp
Share on twitter
Share on facebook
Share on google
Share on linkedin
Share on email
China e o arsenal nuclear

China está fazendo progressos no desenvolvimento de uma tríade nuclear robusta que poderia colocar o país asiático no mesmo nível de Washington, disse o chefe do Comando Estratégico dos EUA.

“China está em uma trajetória para ser um rival estratégico para nós até o final da década”, disse almirante Charles Richard.

“Pela primeira vez, os EUA vão enfrentar dois concorrentes com capacidades nucleares do mesmo nível […] que devem ser dissuadidos de maneiras diferentes”, disse ele, referindo-se à China e à Rússia. “Nunca antes enfrentamos essa situação”, acrescentou.

A Estratégia de Defesa Nacional de 2018 considerou Pequim e Moscou dois concorrentes de grande poder.

A dissuasão estratégica dos EUA será posta à prova nos próximos anos de maneiras nunca antes vistas, sublinhou Richard durante um evento virtual organizado pelo Instituto Mitchell de Estudos Aeroespaciais.

“Precisamos estar prontos para responder a isso”, comentou. “A ameaça é significativa.”

Segundo observou o almirante, Pequim está reforçando seu arsenal nuclear investindo em sistemas de lançamento aéreo, sendo isso uma mudança na abordagem em comparação com épocas anteriores.

“Pela primeira vez, eles estão prestes a terminar a construção de uma verdadeira tríade adicionando capacidade estratégica à sua componente foça aérea”, concluiu Charles Richard.

Anteriormente, a mídia norte-americana escreveu que o bombardeiro supersônico furtivo da China Xian H-20 duplicaria o alcance de ataque chinês e poderia estar pronto para ser apresentado em novembro deste ano no show aéreo de Zhuhai.

A aeronave furtiva vai conceder à China aquilo que só os EUA e a Rússia têm – uma tríade nuclear, ou seja, uma estrutura de força militar de três componentes com capacidade para lançar ataques nucleares a partir do ar, da terra e do mar.

Reuters

OUTRAS NOTÍCIAS