Tempo - Tutiempo.net

Itamaraty alerta brasileiros a não viajarem para o leste da Ucrânia.UÉ! Bolsonaro não tinha pacificado a região?

Leste da Ucrania

A Embaixada do Itamaraty em Kiev, divulgou um aviso na manhã desta quarta-feira (23), alertando brasileiros a evitarem as áreas separatistas no leste da Ucrânia.

“Com relação aos desdobramentos dos últimos dois dias, a Embaixada reforça sua recomendação de atenção e para que sejam evitadas visitas às províncias ucranianas de Donetsk e Luhansk”.

O alerta ainda se estendeu as pessoas que estão no local “aconselha-se mais uma vez aos cidadãos que já estejam nessas regiões que considerem deixá-las sem demora”.

Um primeiro “sinal vermelho” já havia sido feito no dia 19 de fevereiro, após o aumento das violações de cessar-fogo registradas na linha de contato no leste da Ucrânia.

Governo brasileiro de posiciona sobre a crise na Ucrânia

Na terça-feira (22) o Ministério das Relações Exteriores publicou uma nota à imprensa com uma declaração do Representante do Brasil na ONU, sobre a crise na Ucrânia.

Com o posicionamento feito após Vladimir Putin declarar a independência de Donetsk e Luhansk, Ronaldo Costa disse que o Brasil reafirma a necessidade de uma solução de forma diplomática, com base nos Acordos de Minsk.

Houve ainda um apelo as partes envolvidas para que evitem uma escalada de violência e que estabeleçam, rapidamente, os canais de diálogo.

“Todos sabemos como a situação tornou-se crítica. O Brasil vem acompanhando os últimos acontecimentos com extrema preocupação. Nas atuais circunstâncias, nós, neste Conselho, em representação da comunidade internacional, devemos reiterar os apelos à imediata desescalada e nosso firme compromisso de apoiar os esforços políticos e diplomáticos para criar as condições para uma solução pacífica para esta crise.”

Ronaldo Costa Filho ainda reforçou que Rússia e Ucrânia devem resolver as questões com “espírito de abertura”, compreenssão e flexibilidade, não deixando de mencionar a urgência para que a paz volte para toda aquela região.

“Um primeiro objetivo inescapável é obter um cessar-fogo imediato, com a retirada abrangente de tropas e equipamentos militares no terreno.

Tal desengajamento militar será um passo importante para construir confiança entre as partes, fortalecer a diplomacia e buscar uma solução sustentável para a crise.

Não nos enganemos: no final das contas, estamos falando sobre a vida de homens, mulheres e crianças inocentes no terreno.”

Em novo discurso Putin diz que “interesses são inegociáveis”. Mesmo com a tensão entre os dois países a Embaixada informou que continua a operar normalmente.

Não fez nenhuma menção sobre os comentários de que Bolsonaro  promoveu a paz na região durante sua visita. Foi esquecimento, ou outra coisa?

Share on whatsapp
Share on twitter
Share on facebook
Share on google
Share on linkedin
Share on email

OUTRAS NOTÍCIAS