Vendedora dispensada após chamar cliente de perua reverte demissão por justa causa

Share on whatsapp
Share on twitter
Share on facebook
Share on google
Share on linkedin
Share on email

 

 

As Lojas Renner S. A. terão que pagar verbas rescisórias a uma vendedora dispensada por justa causa depois de chamar uma cliente de “perua” durante o atendimento. A Justiça do Trabalho considerou que a demissão não foi por justa causa, mas uma dispensa imotivada, já que a rede demitiu a funcionária somente dois dias depois do ocorrido. Segundo o Tribunal Superior do Trabalho (TST), essa demora caracterizou um “perdão tácito”.

 

De acordo com o processo, em 6 de novembro 2011 houve um desentendimento entre a vendedora, em contrato de experiência, e uma cliente, que fez queixa à gerente do estabelecimento. No entanto, somente no dia 8 do mesmo mês a empresa aplicou a pena de demissão por justa causa à trabalhadora, apesar de seu superior hierárquico ter sido informado da situação no mesmo dia da discussão.

 

Ao julgar o caso, o Tribunal Regional do Trabalho da 7ª Região (CE) reformou a sentença que havia mantido a justa causa. Contra essa decisão, a Renner recorreu ao TST, que manteve a decisão.

Fonte: Redação

OUTRAS NOTÍCIAS