Tempo - Tutiempo.net

Dono de ouro apreendido pela PF foi recebido por Mourão e ministros de Bolsonaro

Dono do ouro apreendido se reune com vários membros do primeiro escalão de Bolsonaro

A apreensão de uma carga de 78 quilos de ouro pela Polícia Federal em Sorocaba (SP) na quarta-feira (4) pode trazer complicações para o governo de Jair Bolsonaro.

A carga, avaliada em cerca de R$ 23 milhões, pertenceria ao empresário Dirceu Frederico Sobrinho, dono da empresa de ouro FD Gold, que é filiado ao PSDB e concorreu como suplente de senador pelo Pará em 2018.

Segundo a revista Veja, nos últimos tempos, foi recebido por quatro membros do primeiro escalão de Bolsonaro para tratar dos interesses dos garimpeiros.

“Ele esteve reunido com o vice-presidente Hamilton Mourão. O então ministro da Casa Civil Onix Lorenzoni, o ex-ministro do Meio Ambiente Ricardo Salles e o ministro-chefe do Gabinete de Segurança Institucional (GSI), general Augusto Heleno, também já estiveram em reuniões com o empresário, que tem farto histórico de suspeitas de comércio ilegal de ouro – no ano passado, o Ministério Público Federal pediu a suspensão da empresa de Sobrinho, acusada de despejar no mercado mais de uma tonelada de ouro extraído de garimpos ilegais da Amazônia”, diz a reportagem.

O avião particular turboélice King Air pousou no Aeroporto Estadual de Sorocaba, Bertrand Leupolz.

A PF, que já monitorava o avião, esperou que os seis ocupantes da aeronave descarregassem três malas e as pusessem em dois veículos, que foram parados a altura do km 74 da Rodovia Castelo Branco no sentido da capital paulista com o apoio da Polícia Militar Rodoviária.

Segundo declaração das pessoas que ocupavam os veículos, a carga de 78kg de ouro,  pertence ao empresário Dirceu Frederico Sobrinho, que foi candidato pelo PSDB, e o ouro de volta, todo ele garimpado em garimpos elegais.

Com informações da PF.

Share on whatsapp
Share on twitter
Share on facebook
Share on google
Share on linkedin
Share on email

OUTRAS NOTÍCIAS