Filho de brasileiros envolvido no ataque ao Capitólio pode pegar 25 anos de prisão

Samuel Camargo, filho de brasileiro

O filho de brasileiros que vive na Flórida Sérgio Camargo foi preso ontem pela polícia dos Estados Unidos após participar da invasão ao prédio do Capitólio.

A insurreição ocorreu no dia 6 de janeiro após um grupo extremista que apoiava o ex-presidente Donald Trump tentar impedir que a vitória de Joe Biden fosse certificada.

Cinco pessoas morreram no local por confrontos entre a polícia e os extremistas.

Camargo foi indiciado pelo FBI (polícia federal americana) por ter se envolvido nos atos pró-Trump. Nascido em Boston, no estado de Massachusetts, ele reside em Fort Myers, na Flórida.

Denúncia

Um ex-colega de turma de Camargo que mantinha conexões em uma rede social informou ao FBI sobre a presença do filho de brasileiros no Capitólio.

Camargo havia compartilhado imagens do momento em que invadia o congresso norte-americano. Ao ser questionado sobre a presença no ato, Sergio Camargo admitiu.

Na denúncia da agência federal, ele responde por obstrução do trabalho de agentes das forças de segurança e por entrar em local restrito sem autoridade para fazê-lo.

Além dessas acusações, também consta o envolvimento conscientemente em ato de violência física contra pessoas ou propriedades em locais restritos, e a de conduta desordenada ou perturbadora para interromper uma sessão do Congresso.

Se for condenado, ele pode pegar mais de 25 anos de prisão.

FBI passa aceitar imagens como evidências

O FBI estabeleceu uma série de estratégias para responsabilizar criminalmente as pessoas que tiveram envolvimento na invasão ao Capitólio.

Imagens que foram publicadas pela imprensa e nas redes sociais estão sendo utilizadas como evidências contra os suspeitos.

Em uma página criada pelo FBI para investigar atos em Washington, a agência recomenda às testemunhas que enviem qualquer tipo de informação.

Até o momento, mais de 140 mil pessoas enviaram ao FBI informações que servirão para identificar os que participaram do ato de insurreição.

RPP

Share on whatsapp
Share on twitter
Share on facebook
Share on google
Share on linkedin
Share on email

OUTRAS NOTÍCIAS