Tempo - Tutiempo.net

Jovem assassinado no trânsito era instrutor de Kung Fu. Vídeo com cenas fortes

Ailson e a namorada Deborah, ele assassinado em discussão no trânsito

As imagens do assassinato de Ailson Ortiz causaram revolta nas redes pela frieza do atirador, que tentou descarregar a pistola no jovem já caído no chão, agonizando e de costas.

Ailson é lembrado por colegas e alunos como um jovem dedicado ao Kung Fu, herança que veio do pai

Ailson Augusto Ortiz, de 21 anos, foi assassinado a tiros após uma discussão de trânsito em Cascavel (PR) nesta quinta-feira (24).

O jovem era instrutor na academia Impact Kung Fu e foi descrito por amigos e pela namorada como uma pessoa doce, amável, calma e educada.

“Ele era uma versão boazinha do pai dele”, lembra uma amiga, ao relatar que a paixão pela arte-marcial chinesa é uma herança do pai, Vagner Ortiz. “Eu queria que tivesse algo que pudesse dizer ou fazer para ajudar a amenizar o sofrimento. Esse menino lindo sempre foi luz”, disse outra.

Deborah Larissa, namorada do jovem, publicou uma declaração no Instagram. “Eternos namorados e para todo sempre juntos, mesmo que em planos diferentes. Te amo demais, meu amor”, escreveu a jovem em seu perfil, em um texto acompanhado de uma foto das mãos dos dois, usando alianças de compromisso.

Ailson morreu às 7h da manhã em um crime registrado por diversas câmeras de segurança. Nas imagens, é possível ver o momento em que o atirador, Elias da Silva Pires, desce do veículo e começa a discutir com Ailson, que estava em uma motocicleta.

O rapaz tenta acertar um soco no motorista do carro, que saca a arma e dispara mais de uma vez, mesmo quando o jovem já está caído de costas e agonizando no chão. Ele sai do local em seguida sem prestar socorro para a vítima. No vídeo, é possível ver que o motorista do carro está acompanhado de uma mulher, que chega a sair do veículo.

Assassino é preso

Ainda na quinta-feira, o carro usado por Elias da Silva Pires foi apreendido pela Polícia Militar (PM). Equipes da PM e da Polícia Civil não encontraram o atirador em casa, mas apreenderam três armas na residência — nenhuma delas foi a usada no crime.

Segundo a polícia, o homem tinha permissão para usar armas para caça, como atirador, e também para colecionar. A investigação ainda não informou se as armas possuem registros.

Na noite desta sexta-feira (25), a Polícia Civil informou que prendeu o homem de 54 anos e a arma utilizada no crime.

O advogado do atirador afirmou que seu cliente não foi preso em flagrante, mas sim preso preventivamente, e responderá por homicídio qualificado.

O vídeo

Share on whatsapp
Share on twitter
Share on facebook
Share on google
Share on linkedin
Share on email

OUTRAS NOTÍCIAS