Médica que caiu do 5º andar em prédio de luxo foi jogada pelo namorado, diz prima

Sáttia Loreno e Rodolfo Cordeiro Lucas

A médica Sáttia Loreno caiu de um prédio no bairro de Armação, em Salvador, na madrugada de segunda-feira (20). O companheiro dela, que também é médico, foi preso em flagrante por tentativa de feminicídio.

Uma prima de Sáttia afirmou que a mulher não sofreu um acidente, mas que ela foi jogada do local por Rodolfo Cordeiro Lucas. “Ela foi arremessada do prédio. Ela foi jogada de um prédio.

Ela pedia socorro antes disso. Eles tiveram uma discussão feia. Os vizinhos relatam. Ela pedia socorro. Uma pessoa que pede socorro vai se jogar de um apartamento? Não vai. Ela não faria isso. Ela não fez isso”, contou Ariana Lorena.

Vizinhos do casal confirmaram que Sáttia Lorena caiu do prédio após uma discussão com o companheiro, que também é médico.

A perícia foi feita no prédio e o laudo deve ficar pronto em até 10 dias. O documento vai ser decisivo para esclarecer o que aconteceu.

Rodolfo foi encaminhado para a Delegacia Especial de Atendimento à Mulher (Deam), onde a ocorrência foi registrada, ainda na segunda-feira, após passar pela Central de Flagrantes da Polícia Civil.

Segundo informou a Secretaria de Administração Penitenciária (Seap), nesta terça-feira (21), o homem será encaminhado para o Centro de Observação Penal (COP) e, logo após, o destino será decidido pela Superintendência de Gestão Prisional.

Todos os processos serão feitos no Complexo Penitenciário da Mata Escura.

De acordo com a delegada Bianca Torres, da Delegacia Especializada de Atendimento à Mulher (Deam) do Engenho Velho de Brotas, onde o caso é investigado, o médico nega ter empurrado a companheira.

Ele disse, em depoimento, que a mulher sofria de depressão, o que familiares negam, e que ela se jogou do prédio.

Ainda de acordo com a delegada Bianca Torres, um homem que mora no 4° andar do prédio onde o casal vive disse, também em depoimento, que acordou com a discussão dos vizinhos.

Ele contou que tentou conversar com a mulher pela janela, quando percebeu que a médica estava apoiada no parapeito e viu que o companheiro segurava as mãos delas, mas que a mulher dizia que não tinha mais forças.

O síndico do prédio disse que o homem chegou a morar no local com uma outra mulher, que seria ex-esposa dele. Também de acordo com o síndico, eles já teriam brigado, “mas algo pontual”.

Anderson Moreira, primo de Sáttia, negou a afirmação do suspeito sobre a médica ter histórico de depressão.

“É muito estranho tudo o que aconteceu e tudo que está acontecendo. Ela não era depressiva. Ela não faria isso. Olha o histórico dela. É uma mulher bonita, 27 anos, médica, tem apartamento, carro próprio. Como é que ela poderia se jogar?”, disse.

“Sáttia nunca teve depressão. Nunca. Ela viveu e cresceu no interior, quando se formou, foi para capital buscar o sonho dela, que sempre foi ser médica. Ela sempre conquistou tudo aquilo que ela buscou. Ela era uma pessoa bem sucedida. Ela era agradecida a Deus pelo que vivia. Ela não tinha depressão. Ela nunca teve depressão”, reforçou a prima Ariana Lorena.

Relacionamento tóxico

Tanto Lorena como Anderson classificaram o relacionamento dos dois como tóxico e abusivo.

“A relação deles sempre foi muito conturbada. Era um relacionamento muito possessivo, muito tóxico. Aí eu faço a pergunta: ‘Hoje em dia, quem é que não tem um Instagram?’ Até cachorro tem Instagram, mas ela não tinha. ‘Por que ela não tinha?’ Isso reforça justamente essa possessividade dele. Esse controle”, completou.

Lorena revelou também que a família havia sido informada que o homem seria agressivo e violento, e que o casal já teria tido várias discussões, inclusive em locais públicos.

“A gente já sabe que é uma pessoa extremamente agressiva, que ele é uma pessoa violenta, que, na noite do acontecimento, eles tiveram uma discussão muito violenta no apartamento. Eles já tiveram discussão em locais públicos também. Ela pediu socorro dentro do apartamento, antes de acontecer, dela ser arremessada do andar”, concluiu .

Lorena contou ainda que a prima é muito amorosa e amada pelos pacientes. E que sempre foi dedicada para conseguir os sonhos.

“Ela é uma menina alegre, amorosa. Uma médica dedicada. Para os pacientes dela, nossa, um anjo. Um verdadeiro anjo”.

Segundo o último Boletim Médico, Sáttia permanece internada em estado gravíssimo.

RPP

Share on whatsapp
Share on twitter
Share on facebook
Share on google
Share on linkedin
Share on email

OUTRAS NOTÍCIAS