Pesquisa afirma que ‘surra’ na infância induz a uso de drogas

Share on whatsapp
Share on twitter
Share on facebook
Share on google
Share on linkedin
Share on email

Uma pesquisa da Universidade Federal de São Paulo afirma que sofrer agressão física na infância ou adolescência aumenta em quase três vezes o risco de dependência química na idade adulta. De acordo com o 2.º Levantamento Nacional de Álcool e Drogas (Lenad), 21,7% dos brasileiros apanharam dos pais ou cuidadores quando crianças.

 

A pesquisa divulgada nesta quarta-feira (7) ainda diz que entre usuários de maconha, o número sobe para 47,5%. Em relação à cocaína, o percentual pula para 52%. Os pesquisadores consideram que a criança ou o adolescente, vítima de agressão, fica neurologicamente mais vulnerável ao uso futuro de drogas. “Sabemos que qualquer tipo de evento estressante no começo da vida afeta áreas do cérebro que são as mesmas responsáveis pelo desenvolvimento de dependência química e também pela administração do nosso humor, da nossa motivação”, relata Clarice Madruga, pesquisadora da Unifesp e uma das coordenadoras do estudo.

 

A especialista ainda acrescenta que esse estresse torna a pessoa mais vulnerável para desenvolver dependência. “Claro que também vai depender de outros fatores ambientais, como a facilidade de obtenção da droga e o amparo social que a pessoa tem”, avalia.

 

A pesquisa também informa que 5% dos brasileiros já relataram ter sofrido abuso sexual na infância ou adolescência. Em relação ao sexo feminino, o índice chega a 7%. Na maioria dos casos com meninas (58%), o autor do abuso era um parente ou amigo da família. A pesquisa da Unifesp também aponta que as mulheres são os maiores alvos de bullying.

Fonte: Redação Cl Jornal/ BN/ Foto: web.

OUTRAS NOTÍCIAS