RAISSA MACHADO CELEBRA TERCEIRO TÍTULO À FRENTE DA VIRADOURO

Share on whatsapp
Share on twitter
Share on facebook
Share on google
Share on linkedin
Share on email
Raissa celebra terceiro título à frente da Viradouro Foto: Michele Iassanori

Raissa Machado está de “alma lavada”. A rainha de bateria da Viradouro, escola campeã do carnaval 2020, tem, na verdade, muito a comemorar: o título do grupo especial é o seu terceiro à frente dos ritmistas da Vermelho e Branco – os outros dois são de quando agremiação estava no grupo A. Ela ocupa o posto há sete anos e se considera pé quente:

“Acho que de certa forma podemos dizer que sim (sou pé quente). Em sete anos no posto, sou rainha de três campeonatos, com desfiles memoráveis. No primeiro ano à frente da bateria, já estreei sendo campeã. E viemos de um vice com gostinho de campeã (no ano passado)”, diz Raissa, cujos títulos no grupo A do carnaval ocorreram em 2014 e 2018.

Neste ano, a escola levou para a Avenida a história das ganhadeiras de Itapuã, com o enredo “Viradouro de Alma Lavada”. Raissa acrescenta que se apaixonou pelo que foi narrado pela escola, que diz muito sobre a força das mulheres negras.

Desfile do Grupo Especial 2020 Raissa Machado, rainha da bateria da Viradouro
Desfile do Grupo Especial 2020 Raissa Machado, rainha da bateria da Viradouro Foto: ANTONIO SCORZA / Agência O Globo
“A medida que fui me aprofundando no enredo, fui me apaixonando mais e mais. Posso dizer que conhecer sobre elas, certamente mudou muita coisa para mim. A Viradouro enalteceu a história da mulher negra no Brasil. Além de um enredo forte, em termos de competição, é também um enredo muito impactante no sentido de reflexão”, opinou.

Raissa foi eleita a melhor rainha da Avenida. Diz que fica honrada com o título, mas não costuma “pensar em nada” quando pisa na Marquês de Sapucaí.

“Eu me sinto muito honrada por isso. É difícil falar, porque temos rainha lindas e maravilhosas que deram verdadeiro show na avenida. É uma emoção que não dá para explicar, sentir toda energia que vem do público na avenida, sentir o coração batendo no compasso da minha bateria. Só me deixo levar. Me entrego a esse sentimento sem pensar em mais nada. Amo minha bateria! Amo minha Viradouro”.

A rainha afirmou ainda que não se sente preterida em relação às outras rainhas de baterias com mais mídia. Raissa argumenta que, independente do pavilhão que defendem, são mulheres também.

“Só nós sabemos todas as lutas e glórias de ser uma rainha de bateria, ou musa de carnaval.”

Raíssa Machado durante desfile da Viradouro
Raíssa Machado durante desfile da Viradouro Foto: Divulgação

Extra

OUTRAS NOTÍCIAS