Carlos Lima
Hoje dia 18/06/2019 às 14:46:18

Curiosidades
Carlos Lima | Publicado em 06/06/2019 às 14:11:17

Cratera em Marte pode albergar vida alienígena, diz cientista

Cratera em Marte pode albergar vida alienígena, diz cientista Marte (Foto: Nasa)

O físico Brian Cox afirma que Marte, que agora se parece com um deserto rochoso, poderia ter sido no passado um verdadeiro paraíso com cachoeiras e rios, com todas as condições para a existência de vida.

Em uma recente série da BBC2, onde ele relata a história do Sistema Solar ao longo dos últimos 4.5 bilhões de anos, o professor Brian Cox revelou que a “vida extraterrestre” pode estar escondida em uma cratera em Marte com 1.500 km de largura.

No novo episódio de “Os Planetas”, o professor Cox refere uma área em Marte onde é provável que haja alguma forma de vida.

Ele explica que a maior parte da água do Planeta Vermelho teria provavelmente desaparecido quando a atmosfera mudou, revela jornal Express.

“A maior parte da água teria evaporado e vazado para o espaço, deixando apenas pequenos vestígios congelados espalhados pelo planeta”, disse o físico.

Existe uma cratera em Marte que se chama Hellas Basin, (Bacia de Impacto Hellas, em português), que tem 1.500 quilômetros de largura e 9 quilômetros de profundidade, isso significa que nós poderíamos colocar o monte Everest no fundo da cratera e que o seu cume não iria atingir as bordas.

Segundo o cientista, devido à alta pressão na cratera, permitindo que a água líquida exista, é possível que lá existam micróbios escondidos.

“A pressão lá no fundo da cratera é tão alta que poderia existir água em estado líquido, então suponho que não é impossível imaginar que os micróbios veem para cima lá das profundezas para se aquecer no sol do meio-dia, e fugindo para baixo para sobreviver o frio da noite em Marte”, revelou Cox.

“Mas não haverá nada tão complexo como nós [humanos]”, disse o cientista.

De acordo com doutor Cox, 3.5 bilhões de anos atrás, Marte tinha uma atmosfera rica em gases com efeito de estufa, mas não conseguiu mantê-los devido ao tamanho relativamente pequeno do planeta.

Por isso, os rios supostamente teriam evaporado para o espaço “deixando apenas alguns vestígios congelados espalhados pelo planeta, onde as missões enviadas a Marte continuam procurando sinais de vida extraterrestre”.

Sputnik

Comentários

comentários

Veja também