COLBERT INVERTE PRIORIDADES/ POR CARLOS LIMA

Share on whatsapp
WhatsApp
Share on twitter
Twitter
Share on facebook
Facebook
Share on google
Google+
Share on linkedin
LinkedIn
Share on email
Email

A Biblioteca Pública tem como função proporcionar o desenvolvimento intelectual, proliferar o conhecimento e preservar a cultura local, sendo um espaço físico de fundamental importância para o desenvolvimento de uma cidade.

A Biblioteca Municipal de Feira de Santana, Arnold Ferreira da Silva, vai parar  suas atividades enquanto durar a reforma em suas instalações.

O governo Colbert Martins alugou um prédio em frente ao prédio da biblioteca, para servirá de depósito do acervo cultural que a mais de 15 anos não é renovado.

Praticamente tornando-se apenas um depósito de livros velhos. caso não tivesse ocorridas algumas doações, a biblioteca já teria sucumbido diante do descaso do governo municipal.

O grupo que comanda os destinos do Município há 20 anos não tem entendimento de que uma biblioteca não é um espaço destinado apenas à leitura e depósito de livros, mas também um ambiente que conecta e transforma pessoas, onde existe a construção do conhecimento e sua disseminação, englobando o conceito de cidadania e o desenvolvimento social e cultural.

Preocupação do governo em períodos eleitorais é sempre mascarar o visual das obras, que lhe permite criar argumentos eleitoreiros, mas, o cerne da questão é menosprezado.

Esse fato está se repetindo pela ânsia do prefeito Colbert de apresentar realizações que visam cooptar simpatias e votos em sua tentativa de reeleição. Ou melhor, se eleger pela primeira vez como prefeito do município, uma vez que chegou ao cargo pela renúncia providencial do ex-prefeito José Ronaldo.

Esse governo tem facilidade de inverter prioridades. Uma delas seria renovação do acervo cultural. Não se pode priorizar o visual em detrimento do cultural.

O entendimento dessa inversão de valores se explica: reforma das instalações físicas do prédio, trará mais visibilidade eleitoral, á utilizada como propaganda no palanque político de 2020.

Nas raras aparições da diretora do órgão no recinto, Telma Melo, pessoa idosa, aposentada, não reside no município e cuida de sua mãe enferma. Ao ser indagada sobre a paralisação que irá prejudicar temporariamente os usuários, não soube explicar qual será o período de reforma.

Telma informou na manhã dessa quinta feira (12), que já estão suspensas as atividades do órgão e os livros estão sendo condicionados em caixas de papelão para serem removidos para o prédio alugado.

Carlos Lima

OUTRAS NOTÍCIAS