Feira de Santana ganha pontos de “drive thru” para vacinação de idosos

Foto: Divulgação

Seguindo novas estratégias para a campanha nacional de vacinação contra a influenza, a Prefeitura de Feira de Santana através da Secretaria Municipal de Saúde, estará realizando a vacinação de idosos em ‘drive thru’, quando o atendimento é feito dentro do veículo. A estratégia inicia nesta terça-feira, 24, na saída E1 do Shopping Boulevard (próximo a academia Selfit) e simultaneamente no estacionamento da UniFTC (localizado na rua Artêmia Pires, bairro Sim) das 13h às 17h.

Para ser vacinado é necessário apresentar documento de identidade e, caso possua, caderneta de vacinação. Os atendimentos estarão sendo organizados por ordem de chegada.

A estratégia de drive thru segue nos dias 25 a 27 de março, nos dois locais, das 8h às 17h.

“A vacina é oferecida exclusivamente ao idoso, o que não impede que outra pessoa esteja conduzindo o veículo”, explica a Secretária de Saúde Denise Lima Mascarenhas.

A estratégia visa reduzir a exposição de pessoas da terceira idade em aglomerações, devido o atual cenário de prevenção ao coronavírus (Covid-19) no país.

“O drive thru é fundamental no sentido de reduzir a aglomeração de pessoas nas unidades de saúde, oferecendo pontos de atendimento rápido para quem pode se dirigir de carro. A nova estratégia não exclui as outras, e a vacinação nas unidades continua”, enfatizou a Secretária de Saúde.

A campanha de vacinação contra influenza segue entre os dias 23 de março a 22 de maio, tendo como dia D de mobilização nacional o dia 9 de maio. A meta é vacinar 90% de cada público alvo.

Não há contraindicação para a vacina, porém pessoas com febre devem adiar a vacinação e pessoas com alergia a proteína do ovo devem comunicar ao profissional de saúde.

A primeira etapa da campanha atende exclusivamente pessoas acima de 60 anos de idade e trabalhadores da saúde. Os idosos devem procurar as unidades de saúde entre os dias 23 de março a 15 de abril, já os profissionais de saúde serão vacinados no local de trabalho.

Na segunda etapa da campanha, que começa dia 16 de abril a 8 de maio, professores de escolas públicas e privadas, profissionais das forças de segurança e salvamento podem ser vacinados.

A última etapa da campanha abrange crianças de seis meses a menores de seis anos (5 anos, 11 meses e 29 dias), pessoas de 55 a 59 anos de idade, pessoas portadoras de doenças crônicas não transmissíveis e outras condições clínicas especiais, gestantes, mulheres em período pós parto, povos indígenas, adolescentes e jovens de 12 a 21 anos de idade sob medidas socioeducativas, população privada de liberdade e funcionários do sistema prisional. Segue entre os dias 9 a 22 de maio.

A campanha foi antecipada pelo Ministério da Saúde em trinta dias como estratégia para oferecer proteção contra a influenza e reduzir os impactos sobre os serviços de saúde, devido o atual cenário de combate ao coronavírus e seus sintomas semelhantes com a influenza.

Influenza

A influenza é uma infecção viral aguda que afeta o sistema respiratório. É de elevada transmissibilidade e distribuição global, com tendência a se disseminar facilmente em epidemias sazonais e também pode causar pandemias.

A infecção pode levar ao agravamento e óbito, principalmente em indivíduos que apresentem fatores ou condições de risco, como por exemplo: crianças menores de cinco anos de idade, gestantes, pessoas com mais de 60 anos de idade, portadores de doenças crônicas não transmissíveis e outras condições clínicas especiais.

Sintomas

O período de incubação da doença varia entre um e quatro dias. Os sinais e sintomas são muito variáveis, podendo ocorrer desde a infecção assintomática, até formas graves da doença.

A influenza sazonal, quando ocorre aumento de casos entre as estações climáticas mais frias, inicia-se geralmente com febre alta, seguida de dor muscular, dor de garganta, dor de cabeça, coriza e tosse. A febre é o sintoma mais importante e dura em torno de três dias. Os sintomas respiratórios como a tosse e outros, tornam-se mais evidentes com a progressão da doença e mantêm-se em geral de três a cinco dias após o desaparecimento da febre.

Alguns casos apresentam complicações graves, como pneumonia, necessitando de internação hospitalar. Devido aos sintomas em comum, pode ser confundida com outras viroses respiratórias causadoras de resfriado.

Já a Síndrome Gripal (SG) se caracteriza pelo aumento súbito da febre, cefaleia, dores musculares (mialgia), tosse, dor de garganta e fadiga. Nos casos mais graves, geralmente, existe dificuldade respiratória e há a necessidade de hospitalização. Nesta situação, denominada Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG), é obrigatória a notificação às autoridades de saúde.

Transmissão

A transmissão ocorre principalmente por partículas eliminadas por pessoas infectadas, como gotículas de saliva ao falar, tossir ou espirrar.

Prevenção

A SG e a SRAG podem ser prevenidas por meio da vacina contra a influenza, oferecida de forma gratuita através do Sistema Único de Saúde. Outras formas de prevenção é a rotina de cuidados respiratórios ao tossir ou espirrar, e a higiene frequente das mãos, evitando colocá-las na boca.

PMFS

Share on facebook
Facebook
Share on google
Google+
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

OUTRAS NOTÍCIAS