Tempo - Tutiempo.net

A Mme Loura, o Negão e a Doméstica/Por Alberto Peixoto

O desespero da mãe

Aos 71 anos de idade, Maria Guilhermina de Oliveira, Dona Maria como é conhecida, negra, pobre, doméstica, oriunda da zona rural de Minas Gerais, é aprovada em vestibular da UNESP – Universidade Estadual Paulista para o curso de Arquivologia.

“Não quero ouvir os outros falando ‘ah, que bom que a senhora está aqui’. Não, não! EU que fico feliz. Fico feliz comigo mesma, com o que eu consegui conquistar.”- afirma Maria, a ex-doméstica e futura arquivista. Salve, a preta Dona Maria!

Até poucos anos passados, o negro, filho de servente, de catador de lixo, pobre ou qualquer pessoa de baixa renda, podia ingressar em uma universidade e graduar-se na carreira a que tivesse mais aptidão.

Mas isso não agradava a sociedade “branca”, principalmente a “classe média que se acha rica”, o que desencadeou no Brasil a “Síndrome da Mme Loura de Olhos Azuis”, que passou a impedir, logo após a direita se apossar do governo brasileiro, deste privilégio que era para todos os brasileiros, seja ele pobre ou rico, preto ou branco, frequentar uma Universidade ou qualquer outro colégio. Estudar, só para os brancos.

Para melhor compreensão, a Mme Loura de Olhos Azuis é mãe de uma “Lourinha”, também de olhos azuis que frequenta a universidade, à noite e que, na carteira ao seu lado esquerdo, senta-se Admilson, um “negão”, filho de uma catadora de materiais reutilizáveis e recicláveis – vulgarmente conhecidos como catadores do lixão – e de um servente de pedreiro, ambos negros e analfabetos.

Para maior desespero da Mme Loura de Olhos Azuis, ao lado direito de sua filha, a Lourinha, está sentada Izadan, “preta”, pobre, filha da cozinheira da Mme e também faxineira da dita cuja loura e de outros condôminos de um prédio luxuoso na Barra.

Nos momentos de folga, Izadan vai para o apartamento da Mme, fazer com a Lourinha, sua colega de Academia – ambas são acadêmicas – as atividades escolares para casa e explicar à Lourinha algum assunto da aula anterior que ela não intendeu muito bem. Para a Mme Loura dos Olhos Azuis: “isto é as trevas; mas que acinte!!! aonde é que nós estamos!?!?”

Você já imaginou se a Lourinha, também com os olhos azuis, se apaixona pelo negão Admilson? Seria a 3ª Guerra Mundial com certeza. A cólera da Mme a conduziria ao infarto!

Este comentário é um pequeno resumo de um possível laudo sobre o QI – Quociente de Intelectualidade; escala para medir o nível de inteligência das pessoas – dos que elegeram presidente, Jair Messias Bolsonaro.

Alberto Peixoto, Escritor

Share on whatsapp
Share on twitter
Share on facebook
Share on google
Share on linkedin
Share on email

OUTRAS NOTÍCIAS