Monge budista deixa pegadas marcadas no assoalho de madeira depois de mais de 20 anos de oração

Algumas pessoas acham que ir à academia três vezes por semana é uma dedicação absurda. Este velho monge refuta essa noção rapidamente.

 

Hua Chi, um monge de 70 anos de idade, ora no mesmo lugar por mais de 20 anos, criando uma marca exata de seus pés em um velho piso de madeira de seu mosteiro.

 

O monge chinês chega todos os dias nos degraus do templo e ora várias vezes ao dia, e todos os dias, rigorosamente.

 

Juntamente com as pegadas de aproximadamente 1 centímetro e meio de profundidade, existem dois sulcos marcados no formato de seus braços.

 

Quando ele era mais novo, chegava a fazer de 2 a 3 mil orações por dia. Ele afirma que, depois de envelhecer, passou a fazer apenas mil. Ele acredita que sua dedicação e compromisso com sua religião o ajudarão a ter uma vida tranquila depois da morte.

 

De acordo com as crenças budistas tibetanas, o espírito passa por um processo após a morte que determina o que será no futuro: atingir o nirvana ou um renascimento.

 

Sua devoção é agora uma fonte de inspiração para os mais jovens monges no templo, que está localizado em Rongwo Gonchen Gompa, um mosteiro tibetano importante em Tongren, China. O mosteiro é secular: remonta ao ano de 1301. É o lar de centenas de monges que estudam as escrituras budistas

Fonte: Jornal Ciência/ Foto: Web.

Share on whatsapp
Share on twitter
Share on facebook
Share on google
Share on linkedin
Share on email

OUTRAS NOTÍCIAS