A formação de ciclones no Brasil a partir desta quarta-feira (2)

Share on whatsapp
Share on twitter
Share on facebook
Share on google
Share on linkedin
Share on email
Formação de ciclones na costa sul do Brasil

Um ciclone extratropical vai atingir a região do Rio Grande do Sul na fronteira com o Uruguai a partir da quarta-feira (2).

O fenômeno, que favorece o surgimento de nuvens carregadas e fortes chuvas, pode provocar ventos de até 85 quilômetros por hora na região do litoral gaúcho, na Grande Porto Alegre e também na serra ca…

O fenômeno, que favorece o surgimento de nuvens carregadas e fortes chuvas, pode provocar ventos de até 85 quilômetros por hora na região do litoral gaúcho, na Grande Porto Alegre e também na serra catarinense.

Os moradores de São Paulo também devem sentir algumas das consequências da intempérie.

No Sul, o ciclone dará origem a uma nova frente fria a partir de quinta-feira (3.

Por aqui os termômetros provavelmente não vão baixar consideravelmente nos próximos dias, mas ventos fortes devem atingir a capital e o litoral paulista, que poderá lidar com ressacas com ondas entre 2 e 2,5 metros de altura a partir de quinta

“O que pode acontecer: amanhã [quarta-feira], mesmo com o tempo estável [o ciclone] vai provocar um aumento da intensidade dos ventos. Podemos esperar ventos moderados, de 35 quilômetros por hora”, afirma o meteorologista do Instituto Climatempo, João Basso.

Mas a velocidade aumenta nos próximos dias. “Na quinta-feira podem ultrapassar os 50 quilômetros, até 60 quilômetros por hora”.

A sexta-feira (4), que tem uma temperatura máxima prevista de 31ºC, pode ter uma diminuição na sensação de calor.

“Por conta do ciclone, pode ocorrer um aumento de nebulosidade”, explica Basso. “Temos previsão de um período mais seco em setembro. Até o dia 14 a gente vai ter esse predomínio de massa de ar seco. Então a tendência é que a gente não tenha uma virada no tempo intensa na Grande SP. Chuva mesmo, talvez só lá para o dia 10 de setembro, mas apenas aquela chuva isolada”, finaliza.

Guilherme Queiroz

OUTRAS NOTÍCIAS