Tempo - Tutiempo.net

Colbert afirma que tudo está sob controle e a ferida aumenta/por Carlos Lima

A ferida aumenta, Colbert

Quando os erros se acumulam durante o processo de prevenção, medidas mais radicais terminam sendo adotadas, ampliando as insatisfações e com reais possibilidades de gerar comportamentos de insatisfação e violência.

Em Feira de Santana a mansuetude das ações do gestor, provocou vácuos na estratégia, fragilmente montada, para evitar o contágio do coronavírus.

Com a divulgação do número de infectados por bairros, ficou comprovado que não existe nenhum controle sobre o crescimento da pandemia e as ações de prevenção no município.

O desespero bateu na porta do prefeito que pretende se reeleger para mais quatro anos de gestão, (se acontecer será um desastre).

Depois de muita espera injustificável, colocou para funcionar um hospital de Campanha envolto de mistérios e questionado quanto á aplicação dos recursos, até o momento sem qualquer explicação lógica e aceitável,

Com as eleições de 2020 definidas, eis que surge uma nova operação com definição apelativa e de nenhum resultado prático: “Operação Viva a Vida”, cujo alvo focaliza bairros do município, durante os fins de semana.

Vocês leram corretamente. ”Fins de Semana”. Todo o comércio será fechado, nos fins de semana. Exceto estabelecimentos de alimentos e farmácia, e haverá barreiras de pedestres, veículos, e os moradores devem circular com documento de identidade.

No bairro Tomba existe uma feira livre que concentra centenas e centenas de pessoas, além de possuir barracas de feirantes que  vendem frutas e verduras, existem supermercados, frigoríferos, abatedouros, boxes que vendem alimentos, tem também várias  Farmácias.

Como será o fechamento desses estabelecimentos só nos ” fins de semana”?

As Feiras Livres dos bairros da cidade são sofreram qualquer restrição anteriormente, todas funcionaram normalmente.

Relembre do cidadão portador de coronavírus que saiu de casa e foi fazer compra na feira de livre da Estação Nova?

Outro fato que caracteriza a falta de planejamento para enfrentar a pandemia é a ausência e indisposição do executivo em adquirir kits de testes e realiza-los.

Recentemente um cidadão fez um emocionante relato sobre a negativa da Secretaria de Saúde em realizar o teste do Covid-19 nele e em sua família, o áudio e a matéria podem ser encontrados facilmente nas redes sociais.

Na verdade, os números registrados dos casos positivos de coronavírus em Feira de Santana não traduz a realidade dos fatos.

Os testes aplicados são inferiores a demanda populacional.

Cidades com um número de habitantes bem inferior ao feirense já realizaram um número bem maior número de exames em sua população, do que a Secretaria Saúde do município feirense. O que não e concebível.

O prefeito da cidade parece jogar com o dito popular de que “o brasileiro tem memória curta”.

Utiliza-se do momento de incertezas na luta contra o coronavírus e pela divulgação do número alarmante de casos e mortes, de forma tão rápida em outros município e países, para que esqueçamos o que aconteceu em Feira de Santana ontem, antes de ontem, há uma semana, e o que choca pela manhã já é notícia velha à tarde.

E sua presença nas redes sociais, nas emissoras de rádio dizendo que tudo está bem e sob controle, funciona como uma dose de morfina repetida enquanto a ferida só aumenta.

Carlos Lima

Share on whatsapp
Share on twitter
Share on facebook
Share on google
Share on linkedin
Share on email

OUTRAS NOTÍCIAS