Tempo - Tutiempo.net

Bolsonaro ridiculariza o brasileiro ao esconder que ele é o único responsável por novo aumento no diesel

O país e o povo estão ridicularizados no mundo

O coordenador-geral da Federação Única dos Petroleiros (FUP), Deyvid Bacelar, criticou Jair Bolsonaro (PL), nesta segunda-feira (9), após a Petrobras anunciar o aumento de 8,87% no preço do diesel nas suas refinarias – o reajuste passa a valer a partir desta terça-feira (10).

“Jair Bolsonaro debocha do povo brasileiro ao esconder que o único responsável pelos aumentos absurdos nos preços dos combustíveis é ele mesmo”, disse Bacelar.

“Bolsonaro mente mais uma vez quando diz não poder mudar o PPI, política que reajusta preços de acordo com a variação do petróleo no mercado internacional, oscilação cambial e custo de importação, mesmo o Brasil sendo autossuficiente em petróleo”, acrescentou.

De acordo com o dirigente, “a equivocada política de Preço de Paridade de Importação (PPI) é obra nefasta do Executivo’. “Ou seja, o PPI não é fixado por lei, como quer fazer crer o Presidente da República’, disse.

“Bolsonaro não muda a política de reajustes porque não quer desagradar acionistas privados, que têm no PPI a garantia de altos lucros gerados pela estatal, cuja diretoria é nomeada pelo próprio presidente da República.

O foco da Petrobrás hoje é gerar e distribuir valor para acionistas. Mais de 45% são investidores estrangeiros, com ações da Petrobras nas bolsas de São Paulo e de Nova Iorque”, acrescentou.

O coordenador destacou que o “PPI foi criado por Michel Temer em outubro de 2016 e mantido por Bolsonaro”.

“Em sua gestão, de janeiro de 2019 a 9 de maio de 2022, houve aumento nas refinarias, de 155,8% na gasolina, 165,6% no diesel e 119,1% no GLP, levando o preço médio do botijão de gás de 13 quilos para acima de R$ 120,00”, disse.

“O novo aumento do diesel anunciado nesta segunda-feira (9/5) é mais uma medida com impactos cruéis sobre a inflação e que contribui ainda mais para a explosão dos preços da comida dos brasileiros”, complementou.

“A estratégia da Petrobrás, sob a vigência do PPI, está ancorada na geração de caixa com objetivo de ampliar a distribuição de dividendo. Com sua política de pouco caso com o brasileiro, Bolsonaro promove uma brutal transferência de riqueza dos mais pobres para os mais ricos”, finaliza.

Brasil

Share on whatsapp
Share on twitter
Share on facebook
Share on google
Share on linkedin
Share on email

OUTRAS NOTÍCIAS