Não é piada: Geddel quer ser substituto de ACM no Senado

Share on whatsapp
Share on twitter
Share on facebook
Share on google
Share on linkedin
Share on email

O secretário nacional do PMDB e presidente do partido na Bahia, Geddel Vieira Lima, parece ter superado a mágoa que vinha expressando por não ter sido escolhido pelos caciques da oposição como cabeça da chapa que enfrentará o PT nas urnas em outubro próximo.

Ele deu mais uma demonstração de que está entusiasmado com candidatura ao Senado neste sábado, em Vitória da Conquista, onde a caravana da oposição foi marcar território.

O peemedebista fez discurso para lá de inteligente ao reconhecer o antigo adversário ACM como “grande voz da Bahia” no cenário nacional e afirmar que quer lhe substituir o falecido no Senado.

Geddel destacou “as surpresas que o destino” lhe pregou e citou a aproximação com o neto daquele que foi seu “grande adversário” político.

“Fui adversário do senador Antônio Carlos Magalhães e apanhei mais do que bati, mas nunca deixei de reconhecer os serviços prestados por ele à Bahia. Agora o destino quis me reservar a chance de conquistar os corações e mentes dos baianos para ser a voz da Bahia no Senado, em substituição àquele que foi meu grande adversário, mas nunca deixou de amar a Bahia”.

Geddel deu mais uma mostra de que mergulhou na campanha do ex-governador Paulo Souto.

“Peço aos meus amigos do PMDB que arregacem as mangas e priorizem o voto em Paulo Souto, porque precisamos devolver a esperança à Bahia”.

E na sessão de elogios a Souto, o prefeito de Salvador, ACM Neto, apontou o ex-governador como seu conselheiro.

O jovem democrata disse que enquanto candidato a prefeito da capital, não sabia se sua maior preocupação era vencer as eleições ou governar uma cidade destruída e endividada.

“Neste momento, quem esteve ao meu lado como conselheiro e orientador foi Paulo Souto. Ele me ajudou a enxergar o caminho de como vencer as adversidades e realizar um bom governo”.

Souto mais uma vez disse que a união das oposições se deu em atendimento à “vontade do povo”.

“Estamos aqui juntos porque tivemos a sabedoria de ouvir o clamor do povo pela união das oposições em prol de um novo futuro para a Bahia. Unidos com o povo seremos capazes de tirar a Bahia da triste condição em que se encontra”.  

Fonte: B.247/Redação

OUTRAS NOTÍCIAS