Professores das universidades rejeitam acordo salarial

De fora da mesa de negociações, o Fórum das Ades (associações dos professores das universidades estaduais) não acatou o acordo feito nesta sexta-feira (3) entre o governo do estado e os servidores públicos para o reajuste do salário de 2013. A categoria realizou nesta sexta-feira manifestação na frente da Governadoria.

“Desde janeiro que sentamos para conversar e eles nos garantiram lá atrás que o linear seria de 5,84%. Agora voltam atrás?”, reclamou Zozina Almeida, coordenadora do fórum que reúne professores das quatro universidades estaduais baianas. Os professores ameaçam iniciar uma greve, caso não haja acordo com a categoria em negociação na mesa setorial.

Eles pedem 28% de aumento, para equiparar os salários com os que são pagos pelas universidades estaduais do Ceará, a que melhor remunera no Nordeste. O estado, em contraproposta, ofereceu 4% de aumento para 2014.

O governador Jaques Wagner preferiu não polemizar com os professores. “A posição deles, eu respeito, estamos na democracia. O orçamento das universidades estaduais cresceu muito no nosso governo, mas a gente tem limite. Eu prefiro falar do maior número das categorias, que mostrou uma maturidade para entender que nem sempre o céu é o limite”.

Além dos professores, também não concordaram com o reajuste os funcionários do Derba. “É absurdo, eles nem corrigiram a inflação oficial”, disse o presidente do sindicato da categoria, Nilton Ramos.

Fonte: Correio

Share on whatsapp
Share on twitter
Share on facebook
Share on google
Share on linkedin
Share on email

OUTRAS NOTÍCIAS