Ildes irá à justiça para esclarecer suposta agressão a conselheiro

Share on whatsapp
Share on twitter
Share on facebook
Share on google
Share on linkedin
Share on email

O secretário de Desenvolvimento Social, Ildes Ferreira, disse que vai à Justiça para esclarecer os fatos levados a público por Allan Johni, que é membro do Conselho Tutelar, que aconteceram no seu gabinete de trabalho.

O conselheiro afirmou, em programas de emissoras de rádio, que o secretário torceu um dos seus braços, depois de um desentendimento que teria acontecido durante uma reunião, na manhã de quarta-feira, 6. Ildes Ferreira nega a acusação.

O secretário disse reconhecer o trabalho realizado pelo conselheiro, que define como bom, mas que não poderia aceitar o seu mau comportamento durante a reunião, que teve a participação dos outros conselheiros, e insinuações a ele dirigidas.

Além da Justiça, ele disse que vai entrar com uma representação junto ao Conselho Municipal da Criança e do Adolescente. O secretário afirma que o conselheiro mostrou uma postura antiética para uma pessoa que se propõe trabalhar em defesa dos direitos de crianças e adolescentes.

Na reunião, estava sendo discutido o expediente dos conselheiros durante a Micareta. Houve uma discordância com relação ao vale-alimentação que é distribuído para quem trabalha durante a festa e o pagamento de diárias.

Os vales-alimentação têm valores únicos, bem como a sua distribuição está relacionada ao período de trabalho. Com relação às diárias, Ildes Ferreira disse que o Tribunal de Contas do Município desaconselha este pagamento aos conselheiros.

“Nos exaltamos e, como estava em um ambiente de trabalho, pedi para que o cidadão se retirasse da sala. E o acompanhei até a porta. Não aconteceu nada mais do que isto”, diz Ildes Ferreira. Estavam presentes à reunião, além dos conselheiros tutelares, a assistente social Vanessa Rosa.

Fonte: Redação / Secom

OUTRAS NOTÍCIAS