Tempo - Tutiempo.net

Conflito Rússia e Ucrânia pode iniciar uma 3ª Guerra Mundial?

Rússia e Ucrânia militarizaram suas fronteiras após conflitos na região de Donbas e elevam clima de guerra

O mundo amanheceu em alerta nesta quinta-feira (24) com os bombardeios do exército russo na Ucrânia.

Desde janeiro, as tensões entre os dois países estão aumentando, o que movimentou a diplomacia global.

Estados Unidos, Reino Unido e União Europeia emitiram sanções contra a Rússia. A Ucrânia rompeu relações diplomáticas com o país vizinho, acionou a lei marcial e pede apoio militar internacional.

A Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan) afirmou que não irá enviar tropas para o território ucraniano, mas deve proteger a fronteira dos seus países-membro com a Rússia.

O governo russo assegura que seu operativo busca conter um “banho de sangue” na região separatista de Donbass e desmilitarizar a Ucrânia, assegurando que seus alvos são apenas as bases militares.

As tensões, na verdade, remetem ao ano de 2014, quando a Crimeia aprovou em referendo popular separar-se da Ucrânia e anexar-se à Rússia.

Agora a região do Donbass, que inclui as Repúblicas Populares de Donestk e Lugansk, também contam com o apoio do governo russo para declarar sua independência de Kiev

Além do aspecto militar, questões econômicas também atravessam o conflito.

A Rússia é o maior produtor de gás no mundo e abastece cerca de 40% da demanda europeia. Os EUA, maiores produtores de petróleo do mundo, buscam aumentar as exportações ao continente europeu.

Com o apoio de Moscou às repúblicas do Donbass, a Alemanha decidiu suspender a certificação do gasoduto russo Nord Stream 2, que transportaria 55 bilhões de metros cúbicos de gás à Europa. Enquanto isso, os EUA batem recorde de exportações do cru para a Europa e os preços do barril de petróleo chegam a maior alta desde 2014.

Para entender as origens do conflito e suas possíveis consequências, o Brasil de Fato entrevisour o professor de relações internacionais da Universidade Federal do ABC Paulista, Giorgio Romano Schutte e Cristina Soreanu Pecequilo, professora de Relações Internacionais da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp), nesta quinta-feira (24), às 15h.

 

 

Share on whatsapp
Share on twitter
Share on facebook
Share on google
Share on linkedin
Share on email

OUTRAS NOTÍCIAS