Dilma libera R$ 13,5 bi para PAC 2 e nega que investimento tenha tom eleitoreiro

Share on whatsapp
Share on twitter
Share on facebook
Share on google
Share on linkedin
Share on email

Nesta quinta-feira (24), a presidente Dilma Rousseff, ao falar para uma platéia de ministros, prefeitos, senadores e deputados no Palácio do Planalto, fez o anúncio da liberação de R$ 13,5 bilhões a municípios para a realização de obras do PAC 2 (Programa de Aceleração do Crescimento).

Em resposta a adversários, a presidente também destacou que o anúncio do investimento não tem viés de campanha. Segundo ela, obras de saneamento “ficam enterradas”, não é “magnífico em sua aparência”.

Todos os Estados e o Distrito Federal devem receber recursos, que deverão ser aplicados em 7,5 mil quilômetros de vias e recapeamento, além da implantação de ciclovias. Os recursos também irão para 15 mil quilômetros de calçadas, sinalização, acessibilidade e faixas de pedestres. Em saneamento, a verba irá para obras de sistemas de drenagem de águas pluviais, redes de abastecimento de água e esgoto sanitário.

 

Segundo Dilma, foram priorizadas propostas com projetos de engenharia, para que sejam viabilizadas com mais rapidez. A presidente também negou, por meio de sua conta no Twitter, o viés eleitoreiro do anúncio. “Saneamento é obra escondida. Depois que você faz, ela desaparece, mas ela aparece nos dados de saúde pública.”

Fonte: Redação / Folha

OUTRAS NOTÍCIAS