Tempo - Tutiempo.net

Após lockdown, Portugal vai do colapso a uma das mais baixas taxas de transmissão

Portugal baixas taxas de transmissão covid-19

 Após ver a pandemia sair do controle em janeiro, com vários dias na liderança mundial em novos casos e mortes por milhão de habitantes e até um pedido de ajuda internacional, Portugal apresenta agora uma das taxas mais baixas.

O resultado foi alcançado com a imposição de um confinamento bastante restritivo.

Portugal registrou na segunda-feira, 1, a quantidade mais baixa de novos casos confirmados do coronavírus desde setembro de 2020. Foram detectadas 394 infecções, de acordo com boletim da Direção Geral de Saúde (DGS), elevando o total para 804.965 desde o início da pandemia.

O dado positivo foi divulgado depois que o país bateu o recorde de casos diários em janeiro, com mais de 10.000 contágios e vários dias na liderança mundial em novos casos e mortes por milhão de habitantes.

O órgão ainda apontou a notificação de 34 mortes causadas pela Covid-19 nas últimas 24 horas.

Não é o valor mais baixo já registrado – de junho a setembro, a quantidade diária de mortos geralmente não passava de 10 –, mas mantém a tendência de queda em relação ao pico de janeiro, quando o país registrou os dois dias mais mortais da pandemia, com 303 óbitos cada um.

Mais de 16.000 portugueses faleceram por complicações da Covid-19, 44% só em janeiro.

Além disso, depois de dois meses de estresse no sistema hospitalar, em que a ministra da Saúde, Marta Temido, considerava até mesmo enviar pacientes para outros países europeus, a pressão nos hospitais caiu e segue estável.

Atualmente, há 2.167 pacientes internados com sintomas da Covid-19, metade do registrado há duas semanas. Já nas unidades de terapia intensiva (UTIs), são 469 leitos ocupados, sendo que duas semanas antes eram 784.

A redução nas modificações —Portugal passou de 16.432 casos em 28 de janeiro para 979 nesta quarta-feira (3) – foi conseguida com a imposição de um confinamento bastante restritivo.

Em vigor nos moldes atuais desde 22 de janeiro, o lockdown ainda não tem data para acabar. Especialistas e próprio governo consideram que os resultados ainda aprovado atenção.

O país ainda está em estado de emergência, o nível de alerta mais alto possível no país. O governo também instaurou um regime de confinamento quase total que vigorará até, pelo menos, o próximo dia 16.

Na tentativa de evitar a entrada das novas variantes do vírus no país, voos vindos e com destino ao Brasil, Reino Unido e África do Sul estão proibidos.

Em combinação com o lockdown, o país também reforçou seu programa de vacinação.

A campanha de imunização, que começou com lentidão e ofuscada por denúncias de pessoas vacinadas indevidamente, engrenou e tem batido sucessivos registros de doses aplicadas.

Até agora, o país, que tem cerca de 10 milhões de habitantes, já aplicou mais de 885 mil doses de vacina.

Cerca de 618 mil pessoas (6,2% da população) já recebeu uma primeira dose, e 266,716 (2,6%) já têm a vacinação completa. Portugal é atualmente o quinto país da União Europeia em número de doses aplicadas.

De acordo com um relatório do Instituto Nacional de Saúde Dr. Ricardo Jorge publicado na sexta-feira (26), Portugal estabilizou sua taxa de transmissão do vírus (Rt) em torno de 0,66 e 0,68. Isso representa o resultado mais baixo de toda a pandemia e um dos menores da Europa.

Segundo o primeiro-ministro luso, António Costa, será anunciado daqui dez dias um plano de relaxamento de medidas, que acontecerá de forma gradual, com as escolas sendo as primeiras a serem reabertas.

REUTERS

Share on whatsapp
Share on twitter
Share on facebook
Share on google
Share on linkedin
Share on email

OUTRAS NOTÍCIAS