Tempo - Tutiempo.net

Johnson ameaça expulsar do partido parlamentares contrários a Brexit sem acordo

Daniel Leal-Olivas/Pool via REUTERS/12.08.2018

O primeiro-ministro do Reino Unido, Boris Johnson, ameaçou expulsar parlamentares rebeldes de seu Partido Conservador se estes frustrarem os planos do governo para a separação britânica da União Europeia votando contra um Brexit sem acordo.

A promessa de Johnson de romper com a UE em 31 de outubro com ou sem um acordo de saída colocou o país a caminho de uma crise constitucional e um confronto com os outros 27 membros do bloco, e uma eleição é uma das possibilidades.

Rebeldes conservadores estão conspirando com partidos de oposição para assumir o controle do Parlamento e atar as mãos do governo com uma legislação que impediria um Brexit sem acordo que dizem que seria desastroso para a economia.

Faltando 24 horas para o Parlamento voltar do recesso de verão, representantes do premiê alertaram os rebeldes que, se votarem contra o governo, estarão entregando o controle do Legislativo ao líder do Partido Trabalhista, Jeremy Corbyn.

“Se não votarem com o governo na terça-feira, eles estarão destruindo a posição de negociação do governo e entregando o controle do Parlamento a Jeremy Corbyn”, disse uma fonte do gabinete responsável por angariar votos, que é responsáveis pela disciplina partidária.

“Qualquer membro conservador do Parlamento que fizer isso será destituído como angariador de votos e não será um candidato conservador em uma eleição”, disse a fonte.

Mais de três anos depois de 52% do Reino Unido decidir deixar a EU por meio de um referendo, ainda não está claro em que termos, ou mesmo se, o Brexit acontecerá.

Corbyn, líder socialista veterano dos trabalhistas, dirá nesta segunda-feira que está pronto para fazer todo o possível para evitar um Brexit sem um pacto, descrevendo tal esforço como uma última tentativa de afastar “nosso país do abismo”.

No xadrez parlamentar a respeito do Brexit, tampouco está claro qual será a reação de Johnson se a aliança de rebeldes conservadores e siglas opositoras conseguir derrotar o governo.

Johnson, o garoto-propaganda da campanha pró-desfiliação de 2016, classificou os rebeldes como “colaboradores” que estão minando a posição de negociação do governo ao anular sua ameaça de uma separação sem acordo.

Reuters
Share on whatsapp
Share on twitter
Share on facebook
Share on google
Share on linkedin
Share on email

OUTRAS NOTÍCIAS