Vídeo mostra rapaz sendo morto na Faixa de Gaza

Um vídeo postado nesta segunda-feira (21) no Youtube mostra o momento em que um civil palestino é morto por um tiro supostamente dado por forças israelenses durante a ofensiva terrestre na Faixa de Gaza. Na gravação feita com um telefone celular, é possível ver o rapaz de camiseta verde caído no chão e receber dois tiros. As imagens são fortes.

Na descrição do vídeo, o autor afirma que voluntários da Defesa Civil, equipes de resgate e parentes de moradores do bairro Shujaya procuravam por sobreviventes de um bombardeio realizado por Israel na noite anterior, quando foram surpreendidos por um atirador.

 

No início da gravação, o autor do vídeo mostra uma ambulância atingida por um ataque de drones. De acordo com o cinegrafista, todos os ocupantes foram mortos. Logo depois, é possível ver um tiro e em seguida o rapaz aparece deitado. Imóveis, os demais companheiros assistem o jovem ser atingido por outros dois disparos e morrer. 

 

Assista ao vídeo:

 

 

Violência não cessa. Em meio a crescentes apelos internacionais por uma trégua, e um apelo do Conselho de Segurança da ONU por um cessar-fogo imediato, os jatos de Israel, tanques e artilharia continuaram a bombardear a Faixa de Gaza.

 

O grupo islâmico Hamas e seus aliados dispararam diversos foguetes contra regiões no centro e no sul de Israel, e pesados combates foram relatados no norte e no leste de Gaza.

 

Ainda nesta segunda-feira um projétil disparado por um tanque israelense atingiu o hospital de Al-Aqsa, no centro da Faixa de Gaza, matando quatro pessoas e ferindo 16, de acordo com o porta-voz do Ministério da Saúde em Gaza, Ashraf Al-Qidra.

O porta-voz afirmou que o terceiro andar abrigava uma Unidade de Terapia Intensiva e salas de cirurgia. Outros projéteis caíram no entorno do hospital, acrescentou. Autoridades pediram ajuda à Cruz Vermelha para a remoção de pacientes. Os militares israelenses não fizeram comentários de imediato sobre o hospital.

 

Embates antigos entre Israel e seus inimigos em Gaza e no Líbano geralmente acabaram quando os Estados Unidos, um grande aliado do Estado judaico, pediu o fim das agressões, solicitação geralmente motivado quando um ataque causava grandes baixas civis do lado árabe.

 

Fonte: Redação/Yahoo

Share on whatsapp
Share on twitter
Share on facebook
Share on google
Share on linkedin
Share on email

OUTRAS NOTÍCIAS