Uma digna atitude de Paulo Coelho ao recusar convite para Feira do Livro de Frankfurt

Share on whatsapp
Share on twitter
Share on facebook
Share on google
Share on linkedin
Share on email

Querendo abafar os reais motivos sobre a ausência de Paulo Coelho na Feira do Livro de Frankfurt, os organizadores criaram desculpas sobre supostas exigências dele, todas desmentidas.

Paulo Coelho desistiu de ir à Frankfurt, na Alemanha, como protesto contra a lista dos escritores convidados para integrar a delegação brasileira, feita pelo Ministério da Cultura e da qual ele faz parte. A feira do livro começa na próxima quarta-feira (9).

Ao comentar o fato Paulo Coelho afirmou: \\\”Duvido que todos sejam escritores profissionais\\\”, e a um jornal alemão disse que: \\\”Dos 70 convidados, só conheço 20, nunca ouvi falar dos outros 50. São, presumivelmente, amigos dos amigos dos amigos. Um nepotismo. O que mais me aborrece: existe uma nova e excitante cena literária no Brasil. Muitos desses jovens autores não estão na lista\\\”.

Anteriormente Paulo Coelho já teria criticado abertamente a seleção de convidados e disse que \\\”fez o melhor que pôde\\\” para colocar na lista alguns não convidados.

Como não conseguiu, declarou: \\\”Então decidi, como protesto, não ir a Frankfurt\\\”. Entre os ausentes, ele citou Eduardo Sphor, Carolina Munhoz, Thalita Rebouças, André Vianco, Felipe Neto e Raphael Draccon.

Em outras entrevistas terminou por fazer duras críticas ao governo e ao Ministério da Cultura.   

Fonte: Redação cljornal

OUTRAS NOTÍCIAS