Diretório do PT na Bahia definiu Rui Costa como candidato ao governo

No final da tarde de sexta feira (29) o diretório do Partido dos Trabalhadores na Bahia definiu o nome do secretário-chefe da Casa Civil, Rui Costa, como candidato ao governo estadual nas eleições de 2014.

Rui Costa já era apontado como o nome preferido do governador Jaques Wagner. Também estavam na corrida sucessória o senador Walter Pinheiro e o secretário José Sérgio Gabrielli, ex-presidente da Petrobras.

Na homologação do seu nome Rui Costa disse: “Ciente da responsabilidade que isso significa, quero dizer de forma tranquila e confiante, que o partido vai ganhar as eleições de 2104”.

O político Rui Costa – Economista graduado pela Universidade Federal da Bahia (UFBA), Rui Costa iniciou sua trajetória política na base sindical, ao lado do governador Jaques Wagner, no Polo Petroquímico de Camaçari, na década de 1980. Foi um dos líderes da primeira grande greve que paralisou o Polo e atuou na criação do PT Bahia.

Foi vereador em dois mandatos, em 2000 e 2004. Nesse meio tempo também coordenou a campanha de Jaques Wagner ao governo. Com a vitória de Wagner, em 2007, foi convidado a assumir a Secretaria de Relações Institucionais da Bahia (Serin).

Em 2010, foi eleito o deputado federal mais votado do PT com 212 mil votos. Em janeiro de 2012, licenciou-se do mandato para assumir a chefia da Casa Civil da Bahia, atendendo a um convite do governador Jaques Wagner.
Walter Pinheiro diz que escolha de Rui Costa não foi consensual.

Para o senador Walter Pinheiro, que também pleiteava a indicação e disse que iria “abraçar” a escolha do partido, diz que a escolha não foi decisão da maioria.

Pinheiro: “Não houve consenso, mantivemos nossa candidatura; porém o diretório fez sua escolha, chamando pra si também a responsabilidade. Se ontem o governador me tirou da lista dele, hoje o diretório me tira da lista do PT”.

A reunião aconteceu a portas fechadas, no hotel Fiesta, em Salvador. Pinheiro relembrou ainda da indicação ao senado em 2010 que, segundo ele, foi disputada em dois encontros com mais de 300 delegados. “não me sinto derrotado, mesmo esta decisão tendo saído com um apenas um encontro do diretório”, declarou.

Mesmo descontente com o rumo da decisão petista, Pinheiro não pretende tencionar mais a situação e disse que vai se empenhar na campanha. “A partir de agora, vou me integrar totalmente na campanha da nossa frente, da nossa aliança, para a gente fazer a sucessão do companheiro Jaques Wagner, para fazer na Bahia a reeleição da companheira Dilma e eleger a maior bancada de deputados estaduais e deputados federais”. Resta aguardar para confirmar essa disposição.

Na verdade Pinheiro foi o único a demonstrar contrariedade com a escolha, marcando seu protesto com uma retirada estratégica da reunião assim que a decisão foi tomada.

José Sérgio Gabrielli ficou até o final do encontro, a tempo de posar para fotos com Rui, e Caetano fez uma festa em torno do escolhido. Resta aguardar para confirmar essa disposição.       

Fonte: Mellyna Reis/Redação do cljornal

Share on whatsapp
Share on twitter
Share on facebook
Share on google
Share on linkedin
Share on email

OUTRAS NOTÍCIAS