João Durval decide entrar na disputa em 2014 e embaralha o jogo para o PDT

 

Há sete anos no Senado Federal e com um histórico de divergências com lideranças dentro do PDT, o ex-governador baiano João Durval Carneiro decidiu embaralhar o cenário pré-eleitoral ao anunciar o desejo de ser um potencial candidato à reeleição ou ao Palácio de Ondina.

O partido já tem como nome apresentado para o pleito, com chances reais de ocupar o lugar de vice na chapa ao governo com Rui Costa (PDT), o presidente da Assembleia Legislativa da Bahia, Marcelo Nilo.

A declaração pode trazer ameaças às pretensões de Nilo, que busca viabilidade dentro do processo, numa disputa com o PP, de Mário Negromonte e João Leão, para entrar na composição.

Em conversa com o presidente nacional do PDT, Carlos Lupi, Carneiro, que tem 84 anos, fez reclamações que não teria sido ouvido pelo partido e que possui sim desejo de se candidatar nas eleições, na posição do Senado ou ao governo.

“Avalio ser candidato a governador ou disputar a reeleição”, disse. Assessores próximos ao senador também reiteraram ontem o seu anseio e a contestação feita a Lupi sobre a ausência de consulta.

Ainda se colocando como pré-candidato ao Palácio de Ondina, Nilo mostrou tranqüilidade, porém deixou a questão nas mãos da cúpula pedetista.

“É um grande homem público, ex-governador da Bahia, ex-prefeito, ex- secretário que merece todo o respeito. Sua pretensão deve ser respeitada, mas o partido é quem tem que decidir. Ele não procurou o partido ainda”, disse.

O novo presidente da sigla na Bahia, deputado federal Félix Mendonça, afirmou que ainda não teve conversas com o senador.

“Mas ele conversou com Lupi e disse que quer a vaga do Senado ou do governo”, informou . Mendonça aproveitou para apontar um caminho, diante de tal situação.

“Eu pessoalmente acho que ele ajudaria muito o partido sendo candidato a deputado federal, assim como outras grandes figuras públicas, como o ex-governador Waldir Pires que foi candidato a vereador de Salvador, ajudando o seu partido e a cidade. Ele puxaria votos”, explicou.

Segundo o dirigente, o fato de sair de uma instituição maior como o Senado não o desmereceria.

“Se não quiser permanecer mais em Brasília, pode buscar a Assembleia Legislativa. Ficaria muito feliz se ele pudesse contribuir com o partido dessa forma”, sugeriu.

Mendonça destacou que pretende dialogar com João Durval sobre o assunto. “Claro que o desejo dele tem que ser ouvido. Almejar ser candidato traz sempre reação positiva”.

Ainda segundo ele, não há motivos para preocupações, pois a situação será conversada. “Eles (Marcelo Nilo e João Durval) vão conversar e avaliar as possibilidades. Vamos chegar a um consenso. Concorrer é um direito de toda pessoa”, frisou o novo presidente estadual do PDT, Félix Mendonça Júnior.

Fonte: Lílian Machado

Share on whatsapp
Share on twitter
Share on facebook
Share on google
Share on linkedin
Share on email

OUTRAS NOTÍCIAS