Tempo - Tutiempo.net

Medicamentos básicos estão em falta nas farmácias e no SUS; veja lista

NÃO FALTA VIAGRA NEM LUBRIFICANTE ÍNTIMOO NAS FORÇAS ARMADAS

Diversos estados do Brasil relataram a escassez de medicamentos básicos, como antibióticos, analgésicos e anti-inflamatórios, em hospitais e farmácias do sistema público e privado.

A Secretaria da Saúde de São Paulo informou que, dos 134 medicamentos distribuídos pelo Ministério da Saúde, 22 estão em falta.

Secretarias e entidades da área de saúde apontam que a guerra na Ucrânia e o lockdown na China são fatores determinantes na queda de importação de insumos, que causa a falta de medicamentos – além do aumento do dólar, do combustível e da energia como vetores determinantes no aumento do preço da matéria-prima.

Medicamentos em falta

O Sindicato dos Hospitais, Clínicas e Laboratórios do Estado de São Paulo (SindHosp) emitiu um alerta sobre a deficiência de estoques. Veja a lista divulgada dos medicamentos em falta:

Dipirona
Dramin
Neostagmina
Soro
Imunoglobina
Aminoglicosídeos
Anestésicos em geral
Ocitocina
Celestone soluspan
Meetronisadol
Purisole
Soro fisiológico

O Conselho das Secretarias Municipais de Saúde do Rio (Cosems-RJ) informou que o problema de remédios esgotados afeta rede pública e privada.

Veja lista:

Acebrofilina
Ambrisebtana
Amicacina
Amoxicilina
Beclometasona
Brimonidina Tartarato
Brizolamina
Budesonida
Cefalexina
Cetoprofeno
Ciclosporina 100mg
Clindamicina
Dapaglifozina
Delferasirox
Dexametazona
Dipirona
Etanercepte 50mg
Gentamicina
Insulina
Levetiracetam
Mepolizumbe
Neostigmina
Ocitocina
Oseltamivir
Piperacilina Sódica
Rasagilina
Rifampicina
Risperidona 2mg
Rivastigmina
Ropivacaína
Sacarato de Hidróxido IV
Sapropterina 100mg
Tobramicina
Toxina Botulínica
Soro Fisiológico

Em Minas Gerais, faltam os remédios:

Desmopressina
Entacapona
Lanreotida
Levetiracetam
Micofenolato de Sódio
Rasagilina
Rivastigmina
Levetiracetam
Bromocriptina
Budesonida + Formoterol para inalação
Clobetasol
Complemento alimentar para fenilcetonúricos
Danazol
Desferroxamina
Formoterol Cápsula
Gosserrelina
Rivastigmina – Solução Oral
Sacubitril Valsartana Sódica
Clobazam
Ganciclovir
Naproxeno
Acido Zoledronico
Amantadina
Calcipotriol
Gabapentina
Isotretinoína
Mesalazina
Risperidona
Hidroxicloroquina
Primidona
Olanzapina
Morfina LC
Morfina  – Solução Oral
Triexifenidil
Bosentana
Acido Ursodesoxicolico
Triptorrelina

No Espírito Santo, segundo divulgado pela Farmácia Cidadã, estão em falta:

Galantamina 16 mg (por cápsula de liberação prolongada)
Galantamina 24 mg (por cápsula de liberação prolongada)
Levetiracetam 250 mg (por comprimido)
Quetiapina 25 mg (por comprimido)
Rivastigmina 1,5 mg (por cápsula)
Rivastigmina 3 mg (por cápsula)
Rivastigmina 6 mg (por cápsula)
Rivastigmina 9 mg (adesivo transdérmico)
Dorzolamida 20 mg/mL solução oftálmica (por frasco de 5 mL)
Gabapentina 300 mg (por cápsula)
Leuprorrelina 3,75 mg injetável (por frasco-ampola)
Desferroxamina 500 mg injetável (por frasco-ampola)
Montelucaste de sódio 4 mg comprimido
Ácido ursodesoxicólico 150mg comprimido
Dieta Enteral Polimérica Pediátrica Padrão –
Acitretina 25 mg (por cápsula)

No Rio Grande do Sul, relatam, inclusive na rede privada de farmácias, a deficiência dos remédios abaixo:

1.    Amoxicilina
2.    Prednisolona
3.    Azitromicina
4.    Dipirona
5.    Paracetamol
6.    Dexametasona

Farmácias populares e Hospitais de Santa Catarina enfrentam a mesma dificuldade em pelo menos 22 medicamentos:

Amoxicilina 500 Mg + Clavulanato
Amoxicilina
Azitromicina
Carvedilol
Clopidogrel
Colagenase
Dexametasona –  Oftálmica
Dexametasona, Acetato
Diclofenaco Sodico
Dimenidrinato + Piridoxina
Dipirona 500 mg
Eritromicina
Estrogênios Conjugados
Fenoterol
Goma de nicotina
Hioscina injetável
Nimesulida
Nitrofurantoina
Óleo Mineral – Solução oral
Omeprazol
Oseltamivir
Paracetamol gotas

No Paraná, segundo a Secretária Estadual de Saúde e Conselho Regional de Farmácia do Estado do Paraná (CRF-PR), os medicamentos em falta são:

Soro fisiológico
Amicacina
Alegra
Ambroxol – Xarope infantil
Acetilcisteína 200 mg
Bromexina infantil
Carbocisteína adulto e infantil
Vibral xarope adulto e infantil
Nimesulida comprimidos
Dipironas
Doralgina
Bisolvon adulto e infantil
Belfaren
Sorinan
Mutigrip
Stilgrip
Vick – Xarope pediátrico
Nottus
Dropropizina
Seki
Percof
Trimebutina 200 mg
Novalgina – Xarope
Tylenol bebê
Paracetamol bebê
Predinisolonas
Mesalazina 250 mg
Nebacetin
Primia Gummies Vitamina C
Primia Gummies
Ciprofloxacino 500 mg
Sinot 400 mg
Bactrim 100 ml infantil
Maxiflox
Astro (todos)
Amoxicilina 250 mg
Clavulanato + Amoxicilina
Neostigmina
Timoglobulina
Imunoglobulina
Anfotericina B Complexo Lipídico
Tramadol

O Desabastecimento de medicamentos foi registrado em 18 estados e no DF

O Sindicato do Comércio Varejista de Produtos Farmacêuticos do Ceará (Sincofarma) informou que, além de escassez de polivitamínicos, xaropes e antitérmicos, o estado está com problemas no estoque de:

1.    Omeprazol
2.    Sinvastatina
3.    Gabapentina
4.    Escitalopram
5.    Clonazepam

Na rede pública do Distrito Federal, são, principalmente, antibióticos, antitérmicos, xaropes e antigripais que estão em falta.

No Pará, também há relatos da falta dos medicamentos:

1.    Dekas
2.    Pulmozyme
3.    Salina Hipertônica
4.    Alfadornase
5.    Tobramicina

No Acre, foram registradas a ausência de:

1.    Ibuprofeno
2.    Nimesulida
3.    Amoxicilina 250mg
4.    Amoxicilina 500mg
5.    Espironolactona
6.    Loratadina
7.    Tramadol
8.    Carbamazepina

O que diz o Ministério da Saúde

Marcelo Queiroga, ministro da Saúde, disse em entrevista à CNN que a oferta de medicamentos estava equilibrada no Brasil e que foram identificados “problemas pontuais”.

O deputado federal Elias Vaz (PSB-GO), que protocolou o pedido de convocação de Marcelo Queiroga à Comissão de Fiscalização Financeira e Controle da Câmara dos Deputados, relatou que faltam remédios também em Goiás.

A escassez de remédios foi comunicada ao Ministério da Saúde há mais de um mês pelo Conselho Nacional de Secretarias Municipais de Saúde (Conasems) e por entidades médicas, mas foram ignorados pela pasta

O governo de Bolsonaro éd genocida ou não é. Alguém pode provar o contrário?

RCL

Share on whatsapp
Share on twitter
Share on facebook
Share on google
Share on linkedin
Share on email

OUTRAS NOTÍCIAS